sicnot

Perfil

Cultura

Cinzas de Carrie Fisher numa urna em forma de comprimido Prozac 

A atriz Meryl Streep no último adeus à amiga Carrie Fisher.

Reed Saxon/ AP

As atrizes Debbie Reynolds e Carrie Fisher, mãe e filha que morreram com um dia de diferença, tiveram funeral conjunto. Uma cerimónia privada realizada no final da semana passada, no Hollywood’s Forest Lawn Memorial Park, em Los Angele. Carrie foi cremada e as suas cinzas foram colocadas numa urna em forma do comprimido Prozac.

O facto gerou controvérsia. O irmão, Todd Fisher, justificou a escolha da família por se tratar de um objeto que a irmã tinha em sua casa e do qual gostava muito.

"Senti que era onde ela gostaria de ficar", afirmou Todd Fisher.

A atriz, que ficou conhecida sobretudo pelo papel de Princesa Leia na trilogia original da "Guerra das Estrelas", foi frequentemente alvo de polémica pelos seus problemas de saúde mental.

Meryl Streep, Penny Marshall, Meg Ryan, Richard Dreyfuss, Buck Henry, Candice Bergen, George Lucas e Gwyneth Paltrow esteviveram no velório e no funeral. Meryl, grande amiga de Carrie, cantou "Happy Days Are Here Again", a música preferida da atriz falecida.

Carrie morreu no dia 27 de dezembro, aos 60 anos, quatro dias depois de um ataque cardíaco a bordo de um avião com destino a Los Angeles. A mãe, Debbie, morreu no dia 28, aos 84 anos, após sofrer um acidente vascular cerebral (AVC).

Debbie tornou-se conhecida pelo papel em "Serenata à Chuva" (1952), tendo mais tarde sido nomeada para um Óscar pelo seu desempenho em "Os Milhões de Molly Brown".

  • A carreira de Debbie Reynolds
    2:41

    Cultura

    Debbie Reynolds morreu aos 84 anos enquanto preparava o funeral da filha, Carrie Fisher. Em 1952, ficou conhecida por contracenar com Gene Kelly e Donald O'Connor em "Serenata à Chuva" e em 1956 foi nomeada para o Óscar de Melhor Atriz, pelo desempenho em "Os Milhões de Molly Brown". A última participação da atriz foi no filme de Steven Soderbergh "Por Detrás do Candelabro", em 2013.

  • "Quero estar com a minha filha", foram as últimas palavras de Debbie Reynolds 

    Cultura

    Debbie Reynolds, mãe da atriz Carrie Fisher, morreu esta quarta-feira, apenas um dia depois da filha, Princesa Leia na saga "Star Wars". A morte de Debbie Reynolds está, contudo, a levantar suspeitas. De acordo com o jornal The Telegraph, as últimas palavras da também atriz, proferidas pouco antes de se sentir mal e de ser levada para o hospital foram: "Quero estar com a minha filha".

  • O dia que roubou dezenas de vidas em Pedrógrão Grande
    3:47
  • Morreu Miguel Beleza

    País

    Miguel Beleza, economista e antigo ministro das Finanças, morreu esta quinta-feira de paragem cardio-respiratória aos 67 anos.

  • "Estamos a ficar sem espaço. Está na hora de explorar outros sistemas solares"

    Mundo

    O físico e cientista britânico Stephen Hawking revelou alguns dos seus desejos para um novo plano de expansão espacial. Hawking está em Trondheim, na Noruega, para participar no Starmus Festival que promove a cultura científica. E foi lá que o físico admitiu que a população mundial está a ficar sem espaço na Terra e que "os únicos lugares disponíveis para irmos estão noutros planetas, noutros universos".

    SIC

  • Não posso usar calções... visto saias

    Mundo

    Perante a proibição de usar calções no emprego, um grupo de motoristas franceses adotou uma nova moda para combater o calor. Os trabalhadores decidiram trocar as calças por saias, visto que a peça de roupa é permitida no uniforme da empresa para a qual trabalham.

  • De refugiada a modelo: a história de Mari Malek

    Mundo

    Mari Malek chegou aos Estados Unidos da América quando era ainda uma criança. Chegada do Sudão do Sul, a menina era uma refugiada à procura de um futuro melhor, num país que não era o seu. Agora, anos depois, Mari Malek é modelo, DJ e atriz, e vive em Nova Iorque. Fundou uma organização sediada no país onde nasceu voltada para as crianças que passam por dificuldade, como também ela passou.