sicnot

Perfil

Cultura

Ricardo Araújo Pereira e Bruno Nogueira programam sobre humor em Lisboa

Os humoristas Ricardo Araújo Pereira e Bruno Nogueira vão programar, a partir desta segunda-feira, sessões de "stand up", leituras, cinema e debates sobre humor, num programa que se estenderá até julho, no Teatro Municipal São Luiz, em Lisboa.

Ricardo Araújo Pereira e Bruno Nogueira serão os comissários do programa "Tragédia + Tempo", "recorrendo a uma explicação breve do cineasta Woddy Allen: é uma conta simples Tragédia + Tempo = Comédia", como se lê na nota de imprensa.

O programa, que não foi ainda totalmente anunciado, começa esta segunda-feira, no Jardim de Inverno, com a atriz Ana Bola e o humorista e argumentista Nuno Markl a entrevistarem Bruno Nogueira e Ricardo Araújo Pereira, dois dos mais conhecidos nomes do atual humor português.

Esta será a primeira de várias conferências que "terão como convidados figuras conhecidas de todos e dos mais variados quadrantes, já que os temas apostam na relação do humor com o que inquieta e desafia a sociedade portuguesa: a política, a religião, a música e a revista à portuguesa".

Em março, o mesmo Jardim de Inverno acolherá uma sessão de leitura de poesia satírica e em abril, Nuno Markl ficará encarregado de escolher uma série de filmes para exibir na Sala-Estúdio Mário Viegas.

Em maio estão programadas duas noites de comédia "stand up", o mesmo formato que Bruno Nogueira recuperará em palco, ainda em data a anunciar.

Lusa

  • A fuga dos PIDES
    20:08
  • Dominado incêncio no centro de tratamento de resíduos da Tratolixo
    1:55

    País

    O fogo na Tratolixo, em Trajouce, deflagrou esta segunda-feira à noite. As chamas foram controladas a meio da manhã pelos bombeiros. No local estão 133 operacionais, apoiados por 51 veículos. O fogo não fez vítimas nem danos materiais. O vento dificultou o combate às chamas.

  • Duas execuções no mesmo dia pela primeira vez em 17 anos nos EUA

    Mundo

    O estado norte-americano do Arkansas (sul) executou, na noite de segunda-feira, dois condenados à morte, o que sucede pela primeira vez em 17 anos no país, anunciou a procuradora-geral daquele estado. Jack Jones e Marcel Williams, condenados separadamente na década de 1990 à pena capital por violação e assassínio, receberam uma injeção letal depois de diferentes tribunais terem rejeitado os respetivos recursos, afirmou Leslie Rutledge, em comunicado.