sicnot

Perfil

Cultura

Morreu a escritora britânica de livros infantis Babette Cole

A escritora britânica Babette Cole, que publicou mais de uma centena de livros para a infância, morreu no sábado, aos 67 anos, revelou o editor da Mabecron Books, Ron John.

Descrita pelo editor como "completamente irreverente e que adorava desafiar a autoridade", Babette Cole conta, entre os sucessos literários, os livros "A mamã que pôs um ovo" e "A princesa espertalhona", ambos publicados em Portugal. O primeiro, que tenta explicar de forma humorística como são feitos os bebés, está traduzido em mais de setenta línguas e vendeu cerca de 2,5 milhões de exemplares em todo o mundo, segundo contas feitas no site da escritora. "A princesa espertalhona", publicado em 1986 e no qual a autora subverte os contos de fadas de princesas que vivem felizes depois de casarem com um príncipe encantado, soma 35 mil exemplares vendidos a nível internacional.

Nascida em 1950, na ilha britânica de Guernsey, Babette Cole trabalhou em programas infantis para a BBC, desenhou para outros autores até ter iniciado, na década de 1970, um percurso literário em nome próprio marcado pelo sentido de humor, irreverência e crítica ao que é politicamente correto quando se fala em escrita e ilustração para crianças.

Além daqueles dois títulos, em Portugal estão também publicados "Manual dos rebentos para uso dos pais", "Amor-perfeito", "Cupido" e "A mamã nunca me disse".Entre outros sucessos da autora, inéditos em Portugal, estão "Tarzanna", "The trouble with mum", a série Nungu e "A dose of doctor dog".

Em 2015 ilustrou uma nova edição de "Os cinco na ilha do tesouro", de Enid Blyton.

Lusa

  • Cinco mortos provocados pelo tufão Hato em Macau
    1:13
  • Prestação da casa aumenta pela primeira vez desde 2014
    1:17

    Economia

    Pela primeira vez em três anos, as taxas de juro do crédito à habitação, estão a subir. A subida é de apenas 1 euro, mas é a primeira desde 2014, depois de em maio deste ano ter estabilizado e em junho ter descido. A justificação para este aumento é a evolução das taxas euribor.

  • Porto Editora acusada de discriminação
    2:55
  • "Burlão do amor" acusado de tirar 450 mil euros a amante
    2:21

    País

    Um homem com cerca de 50 anos é acusado de tirar 450 mil euros a uma mulher com quem começou por ter uma relação profissional. Ele pedia, ela emprestava. Anos depois, ela ficou insolvente, com dívidas à banca de 214 mil euros e sem emprego. O homem é arguido, nega a relação amorosa entre ambos, mas admite ter recebido dinheiro dela. Garante, no entanto, que tenciona pagar o que deve.