sicnot

Perfil

Cultura

Peça "Não quero morrer" em estreia no Teatro S. Luiz

A peça "Não quero morrer", com texto, interpretação e encenação de Elmano Sancho e Juanita Barrera, que põe em cena a perda de memória de uma atriz, estreia-se na quarta-feira, no Teatro São Luiz, em Lisboa.

."Não quero morrer", que vai ficar em cena na sala Mário Viegas, gira em torno da atriz francesa Annie Girardot, e do caso do esquecimento de um texto da sua personagem, numa determinada encenação, o que a obrigou a passar uma temporada numa casa de repouso, em Paris, e ao cancelamento da digressão internacional do espectáculo.

Os últimos anos da vida de Annie Girardot, a protagonista de "Chove em Santiago", de Helvio Soto, e de "Roco e os seus irmãos", de Visconti, que sofria da doença de Alzheimer, foram marcados pela falta de trabalho, pela progressiva perda de memória e pelo esquecimento do seu percurso, pela parte do público.

A ideia do espetáculo surgiu em 2015, quando os dois atores se encontravam a estudar e a trabalhar na SITI Company, em Nova Iorque, como recorda o programa de sala de "Não quero morrer". "Tínhamos 35 anos e a urgência de imortalizar uma juventude que não tardaria em desaparecer", referem os atores, sublinhando que "queriam captar e guardar a insolência, a arrogância e o ímpeto" que julgavam ter e que reconheciam nos jovens atores do cinema italiano e francês dos anos 1960.Assim, para esta peça, os criadores entrevistaram artistas portugueses e colombianos esquecidos pelo público.

"Não quero morrer" oferece a possibilidade de os resgatar para que não caiam no esquecimento.Com texto, interpretação e encenação de Elmano Sancho e Juanita Barrera, a peça conta com Rui Catalão, no apoio à dramaturgia, e Pedro Costa, no espaço sonoro.

A iluminação é de Alexandre Coelho e a fotografia de Alípio Padilha. Assinam a produção executiva Nuno Pratas (para Portugal) e Carolina Lombana (para a Colômbia).O projeto é apoiado pela Direção-Geral das Artes e pela sociedade dos atores colombianos, tem apoio da Embaixada da Colômbia, em Portugal, e da Embaixada de Portugal, na Colômbia, assim como da Fundação GDA."Não quero morrer" é uma coprodução da Culturproject, Espaço do Tempo, por Portugal, e da Greta -- Plataforma en Movimiento e Fundación Teatro Nacional, pela Colômbia.A peça pode ser vista de quarta-feira a sábado, às 21:00, e ao domingo, às 17:30. No dia 28, sábado, após o espectáculo, haverá uma conversa com a equipa artística sobre o drama.

A peça será ainda representada em Coimbra e Vila Real e, em março, subirá ao palco da Casa del Teatro Nacional, em Bogotá, na Colômbia.Annie Girardot - que se tornou conhecida com a personagem Nadia, em "Rocco e os seus irmãos" - nasceu em 23 de outubro de 1931, em Paris, e morreu na mesma cidade a 28 de fevereiro de 2011, aos 79 anos."Partir, revenir" e "Les Misérables", de Claude Lelouche, "Merci la vie", de Bertrand Blier, "L'Amour en question", de André Cayatte, e "Vice and Virtue", de Roger Vadim, são outros filmes destacados da sua carreira.

Lusa

  • O papel da religião no quotidiano
    24:57
  • Jane Goodall iniciou palestra com sons semelhantes aos dos chimpanzés
    2:18

    País

    A investigadora Jane Goodall esteve esta quinta-feira em Lisboa para participar numa conferência da National Geographic. A primatóloga começou o seu discurso com sons semelhantes aos dos chimpanzés. Numa entrevista à SIC, Goodall falou sobre os chimpanzés e sobre o trabalho que continua a desenvolver em todo o mundo, em prol do ambiente, dos animais e das pessoas. 

  • NATO vai aumentar luta contra o terrorismo

    Mundo

    O secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, disse que os aliados da NATO concordaram esta quinta-feira em aumentar a luta contra o terrorismo e em "investir mais e melhor" na Aliança.

  • Trump empurra líder do Montenegro para ficar à frente na fotografia

    Mundo

    A reunião de líderes dos Estados-membros da NATO, que decorreu esta quinta-feira em Bruxelas, na Bélgica, ficou marcada por um momento insólito em que o Presidente norte-americano não quis abdicar de ficar no melhor plano possível nas fotografias de grupo. Nem que para isso tenha sido necessário empurar o líder de outro país.

  • O humor de John Kerry nas críticas a Trump
    0:40

    Mundo

    John Kerry criticou as ligações de Donald Trump com a Rússia durante um discurso de abertura, na Universidade de Harvard. O ex-secretário de Estado norte-americano disse, em tom de brincadeira, que se os jovens querem vingar na política, devem primeiro aprender a falar russo.