sicnot

Perfil

Cultura

Feiticeiro da Calheta: um filme sobre o Bailinho da Madeira com Alberto João Jardim

Página oficial do Facebook

O filme "Feiticeiro da Calheta", sobre o poeta popular madeirense João Gomes de Sousa, autor do "Bailinho da Madeira", conta com Alberto João Jardim, como intérprete, e tem antestreia marcada para o dia 03 de março, na Calheta.

João Gomes de Sousa, poeta popular, pobre, analfabeto, autor da canção "Bailinho da Madeira", foi uma figura popular, no arquipélago, e o filme, dirigido por Luís Miguel Jardim, centra-se em particular nos anos de 1940/50 e na primeira Festa da Vindima, em 1938.

Foi nessa edição que Gomes de Sousa tocou e cantou, pela primeira vez, o "Bailinho da Madeira", no âmbito da atuação do Rancho Folclórico do Arco da Calheta, que ganhou então o primeiro prémio da festa.

Cerca de uma década mais tarde, em 1949, o cantor Maximiano de Sousa, conhecido por Max, então o mais famoso dos artistas madeirenses, tomou a letra e gravou a canção de Gomes de Sousa em Lisboa, sem conhecimento do autor, como evoca o "Feiticeiro da Calheta", o filme.

O filme conta com Alberto João Jardim entre os intérpretes, no papel de um pastor. "Ter Alberto João Jardim num filme meu era um desejo de há muito", confessou o realizador, explicando que o ex-presidente do Governo Regional da Madeira já tinha mostrado interesse em participar numa obra sua, desde a sua anterior produção, "Águas".

"Desde logo demonstrou interesse em saber do papel e quais as falas que lhe caberiam", explicou o realizador.No filme, o antigo líder do PSD-Madeira é um pastor que se cruza com a filha do Feiticeiro da Calheta, a quem diz que "as crianças da Madeira, um dia, terão melhores condições de vida".É "um papel feito à medida" de Jardim, afirma o realizador, que associa o político à "transformação da região".

Luís Miguel Jardim diz que o tema central do filme, que conta com cerca de 400 atores e figurantes, "passa muito" pela exploração da população da Madeira, durante o tempo de vida do autor do "Bailinho".João Gomes de Sousa nasceu na Calheta, na zona oeste da Madeira, em 1895, e morreu em 1974.

A longa-metragem "O Feiticeiro da Calheta" tem antestreia marcada para 03 de março, na Casa das Mudas, na Calheta, pelas 20:30, e estreia no dia 05 de março, no Casino da Madeira, "com entradas apenas por convite", informou o realizador, Luís Miguel Jardim.

As sessões regulares, pagas, realizam-se de 10 a 12 de março, no casino da Madeira e, depois, de 17 a 26 de março, há várias sessões na Casa das Mudas.No início de abril, "O Feiticeiro da Calheta" fica em exibição no Centro Cultural John dos Passos, na Ponta do Sol.

Lusa

  • O perfil do homicida de Barcelos
    2:42

    País

    Adelino Gomes Briote já tinha sido condenado por ofensas à integridade física da sogra e de uma filha. Em seis meses esta foi a segunda vez que o homem acusado do quádruplo homicídio em Barcelos esteve perante a justiça.

  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
  • Trump diz que Obamacare vai "colapsar"

    Mundo

    O Presidente norte-americano tentou desvalorizar a derrota política sofrida na sexta-feira no Congresso, ao desistir da revogação da lei de saúde pública do seu antecessor, conhecida como Obamacare, afirmando que esta vai colapsar por si mesma.

  • Milhares nas cerimónias fúnebres de dirigente do Hamas

    Mundo

    Milhares de palestinianos participaram nas cerimónias fúnebres de um dirigente do Hamas, assassinado esta sexta-feira, na Faixa de Gaza. Vários homens armados acompanharam o cortejo fúnebre até à mesquita, onde se fizeram as últimas orações.

  • Guerra na Síria não dá tréguas
    1:51

    Mundo

    Na Síria e ao mesmo tempo que decorrem novas negociações de paz, a guerra não dá tréguas. As imagens mostram o resultados dos últimos raides aéreos nos subúrbios de Damasco. O balanço provisório é de mais de 30 mortos e pelo menos 50 feridos.