sicnot

Perfil

Cultura

Duelo de divas na entrega dos Grammy hoje em Los Angeles

© Brian Snyder / Reuters

Os prémios de música Grammy, com Beyoncé a liderar as nomeações e Adele não muito atrás, são entregues hoje em Los Angeles (EUA), numa cerimónia que contará com atuações inéditas e onde se podem esperar discursos anti-Trump.

A Associated Press antecipa o que pode acontecer na cerimónia da seguinte forma: "Para muitos artistas que vão estar nos Grammy há um fator que os une para lá do amor à música - um grande desagrado pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump".

E cita Beyoncé, Adele e Drake, artistas que são seguidos por milhões de fãs e que têm criticado as posições anti-imigração da atual administração norte-americana, e também Katy Perry e Lady Gaga, que apoiaram a democrata Hillary Clinton.

A cantora norte-americana Beyoncé lidera a edição deste ano com nove nomeações e está prevista uma atuação nos Grammy, onde aparecerá grávida de gémeos.

Com oito nomeações cada seguem-se os artistas Adele, Drake, Kanye West e Rihanna.

Da longa lista de nomeados, destaque para a inclusão, na categoria de melhor álbum de World Music, de "Dois amigos, um século de música", de Caetano Veloso e Gilberto Gil.

A título póstumo é nomeado David Bowie, por causa do álbum "Blackstar", editado em janeiro de 2016, dias antes de morrer.

Bob Dylan, Nobel da Literatura e já distinguido com mais de uma dezena de prémios Grammy, está nomeado na categoria de "Melhor Álbum Tradicional de Pop Vocal", com "Fallen Angels"

.Entre as atuações previstas conta-se uma colaboração em palco entre Lady Gaga e os Metallica e outra entre os Daft Punk e o músico The Weeknd. Durante a cerimónia serão prestadas homenagens a Prince e a George Michael.

Lusa

  • Família Aveiro na inauguração do Aeroporto Cristiano Ronaldo
    2:34

    País

    A decisão de dar o nome de Cristiano Ronaldo ao aeroporto da Madeira divide opiniões. Contudo, na cerimónia de inauguração desta quarta-feira só se ouviram aplausos. Os madeirenses juntaram-se à porta do aeroporto para ver e receber o melhor jogador do mundo. Também a família do jogador esteve na Madeira para apoiar Ronaldo.

  • A (polémica) mudança de nome do aeroporto da Madeira
    2:00

    País

    O aeroporto da Madeira é desde esta quarta-feira aeroporto Cristiano Ronaldo. O Presidente da República e o primeiro-ministro estiveram juntos na homenagem ao futebolista. A alteração não é consensual entre os madeirenses.

  • O busto de Ronaldo que virou piada no mundo inteiro
    2:04

    País

    No dia em que foi formalizado o novo nome do aeroporto da Madeira, foi também conhecido o busto em bronze de Cristiano Ronaldo e que, desde logo, começou a provocar reações em todo o mundo. As críticas da imprensa internacional não são propriamente positivas e a internet aproveitou para dar contornos humorísticos à criação.

  • Os seus descontos para a Segurança Social estão em ordem?
    7:50
    Contas Poupança

    Contas Poupança

    4ª FEIRA JORNAL DA NOITE

    Os portugueses estão cada vez mais preocupados com a reforma. O valor que se vai receber depende dos descontos que se fizerem para a Segurança Social. Mas há contabilistas que cometem burlas com o dinheiro dos clientes, há esquecimentos, e empresas que deixam de pagar as contribuições por falta de verbas. O Contas Poupança explica-lhe como pode ver neste instante se todos os seus descontos estão nos cofres da Segurança Social, e corrigir algum erro antes que seja tarde demais.

  • "Não há razão para fingirmos que hoje é um dia feliz"
    1:55

    Brexit

    Depois de receber esta quarta-feira a notificação do Brexit, o presidente do Conselho Europeu antecipou negociações difíceis. Donald Tusk diz que agora é preciso minimizar os prejuízos para os cidadãos europeus e para as empresas.

  • "Não há recuo possível"
    2:30

    Brexit

    O processo de saída do Reino Unido da União Europeia começou esta quarta-feira, com a ativação do artigo 50.º do Tratado de Lisboa. A notificação de Theresa May foi feita por carta a Donald Tusk e a primeira-ministra disse que não recuo possível. O processo de negociações levará dois anos e a saída do Reino Unido da União Europeia ficará concluída em 2019.