sicnot

Perfil

Cultura

Morreu o cantor norte-americano Al Jarreau, vencedor de sete prémios Grammy

Felipe Dana

O cantor de jazz norte-americano Al Jarreau, vencedor de sete prémios Grammy, morreu este domingo, aos 76 anos, em Los Angeles, nos Estados Unidos, dias depois de anunciar a sua retirada dos palcos e de ter sido hospitalizado por fadiga.

"Al Jarreau morreu hoje às 5:30 da manhã (hora de Los Angeles). Estava hospitalizado, acompanhado de Ryan (filho), Susan (mulher), amigos e família", explicou o agente do cantor, Joe Gordon, num comunicado hoje enviado aos meios de comunicação social, citado pela agência EFE.

A família irá mandar celebrar uma missa para as pessoas mais chegadas ao cantor e não será organizada nenhuma homenagem pública.

Al Jarreau, nascido em Milwaukee no estado do Winsconsin, editou o seu primeiro álbum em 1975, com 35 anos, tendo dois anos depois recebido o seu primeiro prémio Grammy, de sete, com o disco "Look to the rainbow".

Classificado como cantor de jazz, o estilo "eclético" de Al Jarreau "era inteiramente seu, polido com anos de aprendizagem em 'boites' solitárias", descreve o jornal Washington Post.

Depois de ter sido distinguido com vários prémios como cantor de jazz, Al Jarreau chegou a uma audiência maior com "Breakin' Away", de 1981, que vendeu mais de um milhão de cópias e incluía o tema "We're in this love together". O álbum venceu prémios Grammy nas categorias vocais de pop e jazz.

O tema central da série de televisão dos anos 1980 "Modelo e detetive" ("Moonlighting"), protagonizada por Bruce Willis e Cybill Shepherd, tornou a voz de Al Jarreau conhecida do grande público.

Lusa

  • "O que é isto, mamã?"
    36:23
  • Fim de semana de muito frio e vento forte
    2:08

    País

    Segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera, vem aí mais frio e as temperaturas mínimas negativas vão regressar a alguns pontos do país. Prevê-se também vento intenso para as próximas 48 horas.

  • O ensino à distância em Portugal
    4:12

    País

    Em Portugal, o ensino básico e secundário à distância já conta com 300 alunos e com a preciosa ajuda das novas tecnologias. É através do computador que a escola viaja e acompanha os alunos, alguns com doenças que não os permitem ir às aulas, outros que são atletas de alta competição e que têm a maior parte do tempo ocupado por treinos ou ainda os que fazem parte de famílias itenerantes, como é o caso dos que vivem no circo e andam de terra em terra.

  • Aprender a jogar badminton ao ritmo do samba
    2:54

    Mundo

    No Brasil, a correspondente da SIC foi conhecer um projeto social no Rio de Janeiro que mistura samba e desporto. Um desporto que ainda é pouco praticado mas que tem sido fundamental para transformar a vida de jovens das favelas e para descobrir novos talentos do badminton brasileiro.

    Correspondente SIC