sicnot

Perfil

Cultura

Maior presença portuguesa este ano na ARCOmadrid e duas galerias em estreia

A representação portuguesa da edição deste ano da ARCOmadrid será maior, com um total de 13 galerias, duas delas - Madragoa e Pedro Alfacinha, ambas de Lisboa - em estreia no certame dedicado à arte contemporânea.

No ano passado, foram 11 as galerias portuguesas que participaram na feira e, nesta 36ª edição, que decorre de 22 a 26 de fevereiro, a representação nacional sobe para 13 "devido à qualidade dos projetos", sublinhou hoje a organização, em conferência de imprensa, em Lisboa.

A maior parte das galerias portuguesas participa no programa geral: 3+1 Arte Contemporânea, Baginski, Cristina Guerra Contemporary Art, Filomena Soares, Graça Brandão, Pedro Cera, Vera Cortês, de Lisboa, e Múrias Centeno e Quadrado Azul, que também têm sede no Porto, bem como Mário Sequeira, de Braga.

No programa Opening -- dedicado a galerias criadas há menos de sete anos - participam mais três: Kubik Gallery, do Porto, e, os estreantes Madragoa e Pedro Alfacinha, de Lisboa.

Tanto Carlos Urroz, diretor da ARCOmadrid, como Vera Cortês, membro do Comité de Seleção do certame, sublinharam a "qualidade e ambição" dos projetos apresentados pelas galerias portuguesas.

Na ARCOmadrid vão participar este ano um total de 200 galerias de 27 países, e a Argentina será o país convidado.

Lusa