sicnot

Perfil

Cultura

Festival de animação Monstra com mais de 200 filmes para ver

A longa-metragem "Allegro non troppo", do realizador italiano Bruno Bozzetto, é um dos filmes que abrem hoje o Monstra - Festival de Animação de Lisboa, numa edição que contará com mais de 200 filmes e vários convidados.

Bruno Bozzetto, de 79 anos, estará presente na abertura do Monstra, no São Jorge, com o filme de 1976 que é uma paródia a "Fantasia", da Disney.

O autor será ainda um dos homenageados do festival, que tem Itália como país convidado.

Hoje, a abertura contará ainda com a exibição de filmes muito curtos do realizador italiano Gianluigi Toccafondo e com a estreia de "Les Volcans Endormis", curta experimental de José-Manuel Xavier.

Esta é a 16.ª edição do festival dedicado ao cinema de animação, para adultos, crianças e jovens, que decorrerá naquele cinema e na Cinemateca até ao dia 26, com várias sessões exclusivas para escolas.

A "presença de Itália" no Monstra inclui ainda uma retrospetiva dedicada à personagem Pinóquio e a exibição de várias longas-metragens, como "A Tartaruga Vermelha", de Michael Dudok de Wit, e "A minha vida de Courgette", de Claude Barras, que estará em Lisboa.A programação inclui também exposições no Museu da Marioneta, na Sociedade Nacional de Belas Artes e no Colégio Maria Pia.Depois de Lisboa, o Monstra irá percorrer seis cidades: Tavira, Portalegre, Porto, Oeiras, Coimbra e Torre de Moncorvo.

Lusa

  • Famílias das vítimas de Pedrógão criam associação para apurar responsabilidades
    2:13
  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15