sicnot

Perfil

Cultura

Músicos portugueses fazem homenagem a Leonard Cohen

Blair Gable

Jorge Palma, Samuel Úria e Mazgani são alguns dos músicos que vão participar em dois concertos, em setembro, em Sintra e no Porto, de homenagem ao autor canadiano Leonard Cohen, foi anunciado esta quarta-feira.

Com direção musical de Pedro Vidal, o espetáculo chama-se "As canções de Leonard Cohen" e acontecerá a 21 de setembro, dia de aniversário de Leonard Cohen, no Centro Cultural Olga Cadaval, em Sintra, e no dia 27 na Casa da Música, no Porto.

O reportório musical deixado por Leonard Cohen será interpretado por Jorge Palma, Márcia, David Fonseca, Mazgani, Samuel Úria e Miguel Guedes, dos Blind Zero.

A acompanhá-los em palco estarão o guitarrista Pedro Vidal, que assume a direção musical, o baterista João Correia, o baixista Nuno Lucas, o teclista Rúben Alves e, nos coros, os cantores Paulo Ramos e Orlanda Guilande.

Leonard Cohen morreu dia 7 de novembro do ano passado, aos 82 anos, dias depois de ter publicado um novo álbum, "You want it darker", no qual refletia sobre a própria mortalidade e, com a voz grave característica, se interrogava sobre a natureza do Homem.

O cantor publicou o primeiro álbum, "Songs of Leonard Cohen", em 1967, já depois de ter feito 30 anos e de ter revelado a faceta literária, em particular com o livro de poesia "Let us compare mythologies" (1956) e o romance "O jogo preferido" (1963).

Considerado um dos mais importantes nomes da música popular do século XX, Cohen escreveu músicas simbólicas da sua geração, incluindo "Hallelujah", "Suzanne", "Bird on the wire" ou "So Long Marianne".

Lusa

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras