sicnot

Perfil

Cultura

Festival Nos Alive deste ano está esgotado e vai receber 21 mil estrangeiros

A edição deste do festival Nos Alive, marcada para julho em Oeiras, já está esgotada e contará com 21 mil estrangeiros espectadores, anunciou hoje o promotor Álvaro Covões.

O Alive decorrerá de 06 a 08 de julho no Passeio Marítimo de Algés - com capacidade para cerca de 55 mil pessoas - e conta com artistas como Foo Fighters, Depeche Mode, The Weeknd, Spoon, Phoenix e The XX.

"Chegámos a um bom momento da música", afirmou Álvaro Covões a propósito do evento, sublinhando que houve um tempo em que era difícil atrair espectadores para os festivais de música e hoje é um fator de atração de turismo interno e externo.

O empresário disse que o festival tem um impacto económico no país de 55 milhões de euros, mas acredita que pode ser ainda maior.

"Portugal era conhecido como o país dos 3 'efes' - fado, futebol e Fátima -, mas agora é dos 4 'efes', com os festivais. Estamos a evoluir e a música é um território ganhador", disse.

A propósito da presença de espectadores estrangeiros no festival, o promotor referiu que este ano o Alive espera cerca de 21 mil estrangeiros, um número abaixo dos 32 mil de 2016, o que significa que houve mais portugueses a escolherem o festival.

Este ano, pela primeira vez, o Alive fez uma parceria com o festival madrileno MED Cool e criou um bilhete que dará acesso a um dia nos dois eventos.

O bilhete, com uma tiragem de apenas cem exemplares, será posto à venda na quinta-feira e dará acesso ao dia 06 de julho do festival espanhol e ao dia 07 de julho do NOS Alive.

"A nossa intenção é que em 2018 haja bilhetes conjuntos para os dois países, disse Álvaro Covões.

Lusa


  • "O Benfica é atacado e não há ninguém que fale e que dê a cara?"
    6:05
    O Dia Seguinte

    O Dia Seguinte

    2ªFEIRA 21:50

    Depois do artigo publicado no blog "Geração Benfica", Rui Gomes da Silva reiterou esta segunda-feira, em O Dia Seguinte da SIC Notícias, algumas das críticas à estrutura do clube. O antigo vice-presidente do Benfica defendeu Luís Filipe Vieira, Rui Vitória e Nuno Gomes. E acusou novamente Rui Costa de passividade e os vice-presidentes de não darem a cara. 

  • As primeiras imagens do furacão Maria pelas Caraíbas
    2:44
  • "Myanmar não teme o escrutínio internacional"
    1:07
  • Exercício e pastilha elástica: o que faz o país com mais idosos no mundo
    1:17