sicnot

Perfil

Cultura

Escritor britânico satiriza política americana

Alastair Grant

O escritor britânico Howard Jacobson, vencedor do Man Booker Prize, acaba de publicar em Portugal um romance escrito após as eleições americanas, que satiriza a política daquele país, em busca de uma explicação para a eleição de Trump.

"Pussy" é um "romance cómico que, segundo o autor, tem como objetivo, oferecer aos leitores 'a consolação da sátira selvagem'", revela a Bertrand, editora responsável pela publicação do livro em Portugal.

O livro foi escrito em "tempo recorde", em resposta à vitória eleitoral de Donald Trump, numa tentativa de Howard Jacobson tentar dar sentido ao resultado eleitoral norte-americano.

Howard Jacobson, prémio Man Booker em 2010, confessa que o resultado eleitoral com que se confrontou na manhã seguinte às eleições era totalmente o oposto das suas expectativas: Donald Trump era eleito presidente dos Estados Unidos.

Foi então que sentiu a "urgência" de começar nessa mesma tarde a escrever "Pussy", cujo título se "impôs quase imediatamente".

Para Howard Jacobson, a expressão "pussy" passou a definir na perfeição o atual presidente norte-americano: "uma criança idiota que não pragueja bem, não seduz com estilo, vangloria-se das suas conquistas de forma tão inexperiente que nem ele pode acreditar nelas", conta a editora.

Este livro, que se vem juntar à nuvem de críticas e sátiras que rodeiam o mandato de Trump, conta a história do príncipe Fracassus, o herdeiro presumível do Grão-Ducado de Origen, famoso pelos seus arranha-céus e casinos dourados, que passa a infância a ver 'reality-shows' na televisão, a imaginar-se o imperador Romano Nero e a fantasiar sobre profissionais do sexo.

A sinopse disponibilizada pela Bertrand acrescenta que se trata de alguém preguiçoso, arrogante, egoísta, não tem maneiras, nem curiosidade, nem conhecimentos, e é possuidor de poucas ideias, que se expressam através de um número muito limitado de palavras, questionando-se se será um líder adequado para tornar o país grande outra vez.

Lusa

  • Penélope Cruz diz que contos de fadas são muito machistas

    Cultura

    Penélope Cruz revelou recentemente o sentimento de descontentamento com os contos de fadas que, a seu ver, são muito machistas. A atriz de 43 anos confessou que lê as histórias aos filhos, Leonardo de sete anos e Luna de quatro, mas que opta por alterar sempre o final.

    SIC

  • Kurt Cobain homenageado no dia em que faria 51 anos

    Cultura

    No dia em que faria 51 anos, se estivesse vivo, Kurt Cobain foi homenageado pela viúva, Courtney Love, e a filha do casal, Frances Bean. Através de publicações no Instagram, mãe e filha lembraram o fundador, vocalista e guitarrista dos Nirvana, que vai ficar para sempre na história da música.

    SIC

  • Google Maps esconde mansão de Puigdemont na Bélgica

    Mundo

    Depois de fugir de Espanha, Carles Puigdemont refugiou-se na Bélgica para evitar uma possível extradição. O refúgio que encontrou foi uma mansão no município de Waterloo, por 4.400 euros ao mês. Agora, a pedido do ex-presidente do Governo da Catalunha, essa mesma mansão foi "apagada" do Google Maps.

    SIC

  • 50 empresas estão a recrutar na Universidade Católica
    1:46

    Economia

    A Universidade Católica de Lisboa reuniu 50 empresas nacionais e internacionais numa feira de emprego esta terça-feira e amanhã. As empresas procuram novos candidatos para os lugares que têm disponíveis nos departamentos de Economia, Finanças e Gestão.