sicnot

Perfil

Desporto

Nelson Évora volta a ser favorito para a medalha de ouro nos Europeus de Atletismo

Nelson Évora é o grande favorito para a medalha de ouro do triplo salto nos Campeonatos da Europa de atletismo, destacando-se de forma muito clara na delegação portuguesa que vai competir em Praga, de sexta-feira a domingo.

Nelson Évora é um dos 11 atletas portugueses já qualificados para o Rio2016 (Reuters/ Arquivo)

Nelson Évora é um dos 11 atletas portugueses já qualificados para o Rio2016 (Reuters/ Arquivo)

© Phil Noble / Reuters

Aos 30 anos, o triplo saltador português, campeão olímpico em 2008 e mundial em 2007, está de novo em grande forma e lidera o 'ranking' com 17,19 metros, a pouco mais de dez centímetros do seu recorde nacional em pista coberta.

Depois de 2009, ano em que ainda foi vice-campeão mundial, Nelson Évora foi flagelado por uma série de lesões, algumas graves, como a fratura da tíbia que o afastou dos Jogos Olímpicos de 2012. Ainda no ano passado viu a época de inverno terminar cedo, com uma artroscopia no joelho, regressando no verão para apenas ser sexto nos Europeus ao ar livre.

Agora, em Praga, está em primeiro nas listas de apostas para ser, finalmente, campeão da Europa - o seu melhor, a este nível, é a medalha de prata nos Mundiais 'indoor' de 2008, ano em que fixou o recorde nacional em 17,33.

Esta época, lidera as listas europeias, com 17,19, feitos no recente Nacional de Clubes, à frente do espanhol Pablo Torrijos (17,03, novo recorde de Espanha) e dos russos Dmitry Sorokin (16,94), Aleksey Fyodorov (16,91) e Dmitry Chizhikov (16,89).

Com sete atletas na capital da República Checa, Portugal tem uma das menos numerosas delegações de sempre e não aponta para mais medalhas além da esperada para Nelson Évora. Patrícia Mamona, no triplo feminino, também poderá ser finalista, mas dificilmente mais do que isso.

Patrícia Mamona, vice-campeã europeia absoluta em 2012 mas inesperadamente fora da final em 2014 (foi 13.ª e primeira não qualificada), começou a época de forma consistente e tem como melhor registo 14,10 metros, na sua última prova.

Embora a marca apenas a coloque como 10.ª do ano entre as 23 atletas inscritas, a atleta do Sporting tem vindo a registar bons progressos e é natural que venha a aproximar-se ou até ultrapassar o seu recorde nacional de pista coberta, fixado no ano passado em 14,36, o que lhe permitiria estar na luta pelas medalhas. 

Na ausência da ucraniana Olha Saladukha, campeã europeia de pista coberta em 2013 e de ar livre em 2014, a grande favorita é a russa Yekaterina Koneva, já com 14,68 esta época e que foi campeã mundial há um ano. 

A búlgara Gabriela Petrova registou grandes progressos este inverno, ao saltar 14,55, mas a sua segunda marca conhecida é de apenas 14,14.

Também a pensar na final estará Susana Costa, embora a sua marca desta época (13,73) a coloque somente na 19.ª posição, prevendo-se que tenha de fazer melhor que o seu recorde pessoal de 13,94, alcançado na época passada, para poder aspirar ao 'top-8'.

Com objetivos difíceis de atingir estão igualmente os dois varistas, Edi Maia (5,70 metros como recorde nacional, em 2014) e Diogo Ferreira (5,60 esta época), ambos finalistas no Europeu de ar livre do verão passado. 

No entanto, em pista coberta, a tarefa é mais complicada, já que são apenas oito, e não 12, os apurados para a final, na qual brilhará o francês Renaud Lavillenie, a grande vedeta deste Europeu, que se prepara para um histórico quarto título consecutivo. 

Com os 5,60 deste ano, os dois varistas portugueses estão no grupo dos 12.ºs entre os inscritos, no total de 24 atletas inscritos.

Na equipa nacional, de sete atletas, nada menos que cinco são saltadores, havendo apenas dois corredores, Yazaldes Nascimento, nos 60 metros, e João Almeida, nos 60 metros barreiras. 

Pela primeira vez desde 1978, Portugal não inscreve qualquer atleta para as provas de meio-fundo curto, o setor em que o país mais se destacou nas últimas décadas (em 19 medalhas, 13 foram obtidas nos 800, 1.500 e 3.000 metros).

Yazaldes Nascimento, finalista nos 100 metros do Europeu de Zurique, no verão passado, terá de melhorar bastante os 6,70 conseguidos na sua última prova para poder aspirar a repetir a proeza. Tem a 23.ª marca do ano entre os 38 inscritos nos 60 metros. 

Sem o campeão europeu, o inglês James Dasaolu, nem o francês Christophe Lemaitre, os 60 metros serão essencialmente um confronto entre os britânicos e os alemães, na luta pelas medalhas.

João Almeida terá como objetivo a passagem às meias-finais. Tem 7,75 como recorde pessoal, a 19.ª marca do ano entre os 28 participantes e não está muito longe dessa meta.

Na equipa portuguesa, a grande ausência é a de Sara Moreira, a campeã em título de 3.000 metros e que no Nacional de Clubes fez a nona marca europeia do ano. No entanto, a época internacional de pista coberta está fora dos seus objetivos.

Marco Fortes, recentemente regressado após lesão, não fez mínimos para o lançamento do peso e Marcos Chuva ficou a um centímetro apenas dos mínimos no salto em comprimento.










Lusa

  • Santana diz que Marcelo por vezes faz de conta que é primeiro-ministro
    1:12

    País

    Santana Lopes diz que a expectativa que Passos Coelho criou sobre o mau desempenho do Governo se está a virar-se contra ele. Numa entrevista ao jornal Expresso deste sábado, o ex-primeiro-ministro e ex-presidente da Câmara Municipal de Lisboa considera contudo que Passos Coelho ainda poderá ganhar as próximas eleições. Sobre Marcelo, o atual provedor da Santa Casa da Misericórdia diz que por vezes faz de conta que é o primeiro-ministro.

  • Coala do Zoo de Duisburg viaja para Lisboa 

    País

    A SIC acompanhou, em exclusivo, a transferência de uma coala do Zoo de Duisburg, na Alemanha, para o Jardim Zoológico de Lisboa. O animal foi transportado pela TAP e batizado pelos passageiros que seguiam a bordo. Uma reportagem para ver mais logo no Jornal da Noite da SIC.

    Hoje no Jornal da Noite

  • Caravana com cinzas de Fidel chega este sábado a Santiago de Cuba
    2:01
  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.