sicnot

Perfil

Desporto

Federação italiana de futebol tem plano para ajudar Parma a terminar campeonato

A Federação Italiana de Futebol (FIGC) tem um plano para ajudar o Parma a terminar o campeonato, apesar do risco de falência que corre, explicou hoje o presidente da Federação, Carlo Tavecchio.

© Alessandro Bianchi / Reuters

"Temos um plano, já aplicado a alguns clubes da Serie A (primeira divisão), e no domingo o Parma vai jogar", disse Tavecchio, à saída de uma reunião com o presidente da Câmara daquela cidade, Federico Pizzarotti.

A FIGC poderá solicitar ajuda financeira à Liga profissional para auxiliar o Parma, estando prevista uma reunião na sexta-feira na sede da Liga em Milão para debater a situação do clube dos portugueses Varela e Pedro Mendes, que corre o risco de não terminar o campeonato por falta de meios.

No entanto, a FIGC já fez saber que não irá permitir um terceiro adiamento no domingo, na partida contra o Atalanta, da 26.ª jornada da Liga, depois de ter aceitado adiar os dois jogos anteriores do Parma, contra a Udinese e o Génova. 

O presidente da Câmara, Frederico Pizzarotti, estimou que existem 50 por cento de hipóteses de que a partida com a Atalanta venha a disputar-se.

A situação de banca rota do Parma, um clube centenário, que venceu três taças europeias nos anos noventa, poderá ser pronunciada a 19 de março próximo pelo Tribunal de Parma, o que a acontecer será a segunda vez em dez anos, depois do escândalo da Parmalat, antiga empresa proprietária do clube.

O atacante uruguaio Cristian Rodriguez, contratado na janela de transferências de inverno, apesar da dívida, prestou declarações ao canal de televisão BelnSport, qualificando a situação que o clube vive como "inacreditável".

"Os meus colegas não recebem salários há sete meses, é uma vergonha. O mesmo se passa com o treinador e os seus adjuntos, com o cozinheiro e com todos os que trabalham no clube. Se os jogadores têm outros meios para fazer face a essa situação, para os funcionários é muito difícil", rematou o jogador uruguaio. 


Lusa
  • Há companhias aéreas a contratar. TAP é uma delas
    1:28
  • Leão de Ouro de Souto de Moura faz "muito bem à alma" dos portugueses
    1:53
  • "Sonho com um futuro melhor", o desejo de um jovem sírio em Portugal
    2:12

    País

    Mais de 50 jovens sírios chegaram esta madrugada a Lisboa, para iniciarem o novo ano letivo, em Portugal. Sonham com um futuro melhor. Sonham com uma educação melhor. Os 54 estudantes vieram ao abrigo do programa lançado pelo antigo Presidente da República, Jorge Sampaio, que nos últimos anos já deu uma nova oportunidade a cerca de 200 alunos.

  • Na linha do triunfo
    16:49
  • Chamas do incêndio no Europa Park na Alemanha atingiram os 15 metros de altura
    0:57