sicnot

Perfil

Desporto

Danilo sai de ambulância do Estádio do Dragão após choque com Fabiano

O futebolista brasileiro do FC Porto Danilo saiu esta terça-feira de ambulância do Dragão, na sequência de um choque com o companheiro Fabiano, aos 18 minutos do jogo com o Basileia, dos oitavos de final da Liga dos Campeões.

Pelo aparato na assistência ao jogador, o momento criou muita apreensão entre os adeptos, que brindaram Danilo com uma enorme ovação enquanto o jogador era encaminhado para a ambulância que o conduziu ao hospital.

Pelo aparato na assistência ao jogador, o momento criou muita apreensão entre os adeptos, que brindaram Danilo com uma enorme ovação enquanto o jogador era encaminhado para a ambulância que o conduziu ao hospital.

FERNANDO VELUDO / Lusa

O lateral-direito terá perdido os sentidos após o embate com o guardião e teve de ser assistido alguns minutos no relvado pela equipa médica do FC Porto e por elementos dos bombeiros, que evacuaram o jogador numa maca com colete cervical.

Pelo aparato na assistência ao jogador, o momento criou muita apreensão entre os adeptos, que brindaram Danilo com uma enorme ovação enquanto o jogador era encaminhado para a ambulância que o conduziu ao hospital.

Antes da interrupção devido à lesão do defesa brasileiro, o FC Porto já se tinha adiantado no marcador, com um golo de Brahimi, aos 14 minutos.
Lusa
  • Família perde tudo na aldeia de Queirã
    2:32
  • Temperaturas sobem no fim de semana, risco de incêndio aumenta
    1:08

    País

    A chuva que caiu nos últimos dias não deverá ter impactos relevantes na dominuição da seca e, por isso, o risco de incêndios vai voltar a aumentar com nova subida das temperaturas. Os termómetros podem chegar aos 30 graus entre domingo e quarta-feira.

  • Não me parece o melhor princípio político, mas percebo que António Costa queira ter junto de si, sobretudo em tempos difíceis, os mais próximos. Os homens de confiança pessoal e política. Em plena tempestade, o primeiro-ministro chamou dois amigos de longa data, ex-colegas da Faculdade de Direito, Eduardo Cabrita e Pedro Siza Vieira. E eles não disseram que não.

    Bernardo Ferrão