sicnot

Perfil

Desporto

Figo reúne-se com dirigentes da CONCACAF para apresentar candidatura à FIFA

Luís Figo vai reunir-se na quarta-feira, em Filadélfia, nos Estados Unidos, com representantes da Confederação de Futebol da América do Norte, Central e Caraíbas (CONCACAF) para apresentar a sua candidatura à presidência da FIFA. 

Luís Figo já conta com o apoio oficial da Dinamarca, Montenegro, Polónia, Macedónia, Luxemburgo e Portugal. (Arquivo)

Luís Figo já conta com o apoio oficial da Dinamarca, Montenegro, Polónia, Macedónia, Luxemburgo e Portugal. (Arquivo)

© Action Images / Reuters

A iniciativa é adiantada por fontes da equipa de trabalho do ex-futebolista português, citadas pela agência EFE, e que revelam que Figo vai estar igualmente presente na apresentação oficial da 13.ª edição da Gold Cup, a maior competição de seleções organizada pelo organismo, que vai decorrer na mesma cidade norte-americana, entre 07 e 26 de julho.

Em Filadélfia, o antigo internacional luso vai, junto dos responsáveis da CONCACAF e dos presidentes das federações que compõe o organismo, promover e explicar os principais pontos do seu projeto de candidatura ao mais alto cargo da FIFA.

Além de Figo, na corrida à liderança da FIFA estão ainda o atual presidente, o suíço Joseph Blatter, o príncipe jordano Ali Bin Al Hussein, vice-presidente da FIFA e membro do Comité Executivo, e o presidente da federação da Holanda, Michel van Praag.

Luís Figo já conta com o apoio oficial da Dinamarca, Montenegro, Polónia, Macedónia, Luxemburgo e Portugal.

As eleições para a presidência da FIFA realizam-se a 29 de maio.
  • Família perde tudo na aldeia de Queirã
    2:32
  • Temperaturas sobem no fim de semana, risco de incêndio aumenta
    1:08

    País

    A chuva que caiu nos últimos dias não deverá ter impactos relevantes na dominuição da seca e, por isso, o risco de incêndios vai voltar a aumentar com nova subida das temperaturas. Os termómetros podem chegar aos 30 graus entre domingo e quarta-feira.

  • Não me parece o melhor princípio político, mas percebo que António Costa queira ter junto de si, sobretudo em tempos difíceis, os mais próximos. Os homens de confiança pessoal e política. Em plena tempestade, o primeiro-ministro chamou dois amigos de longa data, ex-colegas da Faculdade de Direito, Eduardo Cabrita e Pedro Siza Vieira. E eles não disseram que não.

    Bernardo Ferrão