sicnot

Perfil

Desporto

Fejsa regressa à competição após 11 meses de paragem

O futebolista sérvio Ljubomir Fejsa, do Benfica, regressou hoje à competição, após 11 meses de paragem devido a uma lesão no joelho direito.

© Hugo Correia / Reuters

O médio defensivo 'encarnado', operado em maio ao ligamento cruzado anterior do joelho, entrou como titular na equipa B do Benfica, na receção ao Feirense, no Seixal, em jogo da 33.ª jornada da II Liga portuguesa de futebol, que teve início às 17:00.
Fejsa
Fejsa não jogava desde 10 de abril de 2014, dia em que foi titular frente aos holandeses do AZ Alkmaar, no Estádio da Luz, na segunda mão dos quartos de final da Liga Europa, antes de ser substituído por Enzo Pérez, aos 64 minutos.

Ausente dos relvados desde então, Fejsa foi operado em maio e perdeu a fase final da época 2013/14, mas o período de recuperação prolongou-se mais do que o esperado e o sérvio falhou a primeira parte da presente temporada, sendo inscrito na Liga somente em janeiro.

Fejsa, de 26 anos, chegou ao Benfica no verão de 2013, proveniente do Olympiacos, da Grécia. Antes, passou pelo Hajduk Kula, clube em que iniciou a carreira, e no Partizian de Belgrado, ao serviço do qual sofreu uma rotutra do mesmo ligamento em julho de 2010, o que motivou uma paragem de 10 meses.

Lusa
  • Frio no fim de semana, regiões do interior podem chegar aos -5 °C
    1:23

    País

    A Proteção Civil emitiu um alerta para o tempo frio e seco e pede cuidados redobrados. As temperaturas já começaram a descer, com regiões a registarem valores negativos. No interior, podem chegar aos 5 graus negativos. Até ao Natal o tempo vai manter-se frio, seco e com ausência de chuva.

  • Bombeiro ferido nos fogos de Pedrógão Grande regressou a casa
    2:33

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Seis meses depois dos incêndios de Pedrógão Grande, regressou a casa o último dos bombeiros de Castanheira de Pera que estava internado desde junho. Rui Rosinha esteve em coma mais de dois meses e tem ainda pela frente uma longa recuperação. O bombeiro não quer que o país esqueça o que aconteceu e espera que as duas tragédias deste ano (fogos de junho e outubro) sirvam de lição para o futuro.

  • PS volta a subir nas intenções de voto e não baixa dos 40%
    2:01
  • Marcelo evita "ideia de que o ano foi todo muito bom"
    3:14

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa disse esta sexta-feira que 2017 teve "o melhor e o pior" e que "é preciso evitar a "ideia que o ano foi todo muito bom". O Presidente da República fez estas declarações depois de António Costa ter dito que a nível económico este "foi um ano particularmente saboroso".