sicnot

Perfil

Desporto

Lahm regressa aos convocados do Bayern Munique após quatro meses de ausência

O futebolista Philipp Lahm regressou hoje à convocatória do Bayern Munique após quatro meses de ausência e poderá voltar aos relvados frente ao Shakhtar Donetsk, em jogo da segunda mão dos oitavos de final da Liga dos Campeões.

© Hannibal Hanschke / Reuters

O internacional alemão, que esteve a recuperar de uma fratura no tornozelo esquerdo, faz parte da lista de 18 jogadores que o técnico espanhol Josep Guardiola chamou para a receção aos ucranianos, numa eliminatória que está empatada, depois do nulo no primeiro jogo, em Lviv. 

Lahm, capitão do Bayern Munique, pode assim regressar aos relvados, depois de se ter lesionado com gravidade em novembro do ano passado, durante um treino.

Com 31 anos, o internacional germânico cumpriu grande parte da sua carreira no Bayern Munique, clube em que foi formado, tendo passado pelo Estugarda entre 2003 e 2005, antes de regressar ao emblema bávaro.

Lahm era habitualmente apenas lateral, mas com a chegada de Pep Guardiola ao clube passou a ocupar também o lugar médio mais defensivo.

Durante a sua carreira, o jogador já conquistou seis ligas alemãs, seis Taças da Alemanha, uma Liga dos Campeões e, mais recentemente, sagrou-se campeão mundial com a Alemanha. 

O encontro está agendado para as 19:45, na Allianz Arena.

Lusa
  • Trabalharia horas extra sem ser pago? E feriados?  
    1:25
  • UE dá "luz verde" para início das negociações do Brexit

    Brexit

    Os 27 Estados-membros da União Europeia aprovaram esta segunda-feira a autorização para o início das negociações do Brexit, indicando formalmente o final de junho para início do processo de saída do Reino Unido, que se prolongará por dois anos.

  • Donald Trump em Israel
    2:14
  • Regras secretas do Facebook permitem divulgação de imagens violentas

    Mundo

    A política interna da empresa Facebook defende que nem todos os vídeos violentos publicados na rede social devem ser apagados porque "não quer censurar ou punir pessoas em perigo". A revelação é feita pelo jornal britânico The Guardian após uma investigação em que conseguiu ter acesso ao manual interno.