sicnot

Perfil

Desporto

Imprensa britânica crítica Mourinho e atuação do Chelsea

A comunicação social britânica foi esta quinta feira muito crítica com o José Mourinho e o Chelsea, treinador e equipa que "nunca serão verdadeiramente amados", na sequência da eliminação nos oitavos de final da Liga dos Campeões em futebol.

© Action Images / Reuters

"Poucas pessoas fora de Stamford Bridge lamentarão a sorte do Chelsea", escreve o Daily Telegraph, que fala de uma "noite de desgraça" para a equipa londrina, que foi afastada da principal prova europeia de clubes pelo Paris-Saint Germain (PSG).

Os franceses estiveram por duas vezes em desvantagem, mas conseguiram terminar o prolongamento com um empate 2-2, qualificando-se para os quartos de final -- onde já está o FC Porto -- graças ao maior número de golos marcados fora de casa, depois de uma igualdade 1-1 em Paris.

"Les Misérables", titula o The Sun, considerando que Mourinho, um especialista em jogos de palavras antes e depois dos jogos, recebeu "uma lição de francês" do PSG.

O jornal mais lido na Grã-Bretanha defendeu que "o Chelsea teve exatamente aquilo que mereceu", criticando a forma como os jogadores da equipa londrina pressionaram desde o início do encontro o árbitro holandês Bjorn Kuipers.

"The Bully Boys" (os rapazes do bullying), escreve o Daily Mail, ilustrando com uma fotografia em que nove jogadores do Chelsea estão a rodear o árbitro, qualificando de "deplorável" a atitude dos futebolistas da equipa inglesa.

Para o The Times, "mesmo com 10 homens durante tanto tempo", numa alusão à expulsão da 'estrela' do PSG, o sueco Zlatan Ibrahimovic, aos 34 minutos, o Chelsea "foi inferior ao adversário em quase todas as ações do jogo".

"José Mourinho até pode acabar como o treinador mais vencedor de sempre, mas acho que nem ele, nem as suas equipas nunca serão verdadeiramente amados. Será que ele se importa? Lamentavelmente, penso que não", sustentou Jamie Carragher, antigo jogador do Liverpool e atual comentador da Sky Sports.

Lusa
  • Hospitais vão ser penalizados se não cumprirem tempos de espera
    2:37

    País

    O Ministério da Saúde vai penalizar os hospitais que não cumprem os tempos de espera nas urgências e que tenham taxas elevadas de cesarianas. O novo modelo de financiamento prevê ainda linhas de financiamento próprio para a obesidade e rastreios do cancro do cólon e do colo do útero.

  • Assédio, até onde vai a tolerância?
    35:26