sicnot

Perfil

Desporto

McLaren não encontrou falhas que expliquem acidente de Alonso

A McLaren esclareceu hoje que não encontrou qualquer falha mecânica no monolugar no qual o espanhol Fernando Alonso sofreu um aparatoso despiste a 22 de fevereiro, durante testes de Fórmula 1 no circuito espanhol de Montmeló.

© Albert Gea / Reuters

Por precaução, o bicampeão mundial não disputa este fim de semana o Grande Prémio da Austrália, em Melbourne, que assinala o arranque do Mundial de 2015.

A McLaren concluiu todas as perícias ao carro do espanhol e não encontrou nenhuma falha que explique o acidente de Montmeló.

A 22 de fevereiro passado, Fernando Alonso já tinha realizado cerca de 20 voltas ao circuito espanhol quando saiu de pista e embateu num muro de proteção, acidente que, na altura, se pensou ter sido provocado pelos ventos fortes e irregulares.

"Tecnicamente, conduzimos as inspeções com a federação internacional [FIA] com toda a transparência. Tudo o que foi examinado até agora não denuncia qualquer problema no carro que possa ter provocado o despiste", esclareceu o chefe de equipa da McLaren, Erci Bouller.


Lusa
  • BE diz que é urgente preparar o país para a saída do euro
    1:10

    País

    Catarina Martins diz que é urgente preparar o país para o cenário de saída do euro. No final da reunião da mesa nacional do Bloco de Esquerda, a coordenadora do partido criticou o encontro de líderes europeus em Roma e disse ainda que a Europa da convergência chegou ao fim.

  • "Mais UE não significa mais Europa"
    0:50

    País

    O secretário-geral do PCP insiste nas críticas à União Europeia. Um dia depois da comemoração dos 60 anos do Tratado de Roma, Jerónimo de Sousa defendeu, no Seixal, que o modelo europeu está esgotado e prejudica vários países, incluindo Portugal.

  • Aplicação WhatsApp acusada de permitir conversas secretas entre terroristas
    1:45
  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".