sicnot

Perfil

Desporto

Liga francesa vai analisar declarações de Ibrahimovic

A Comissão de Disciplina da Liga Francesa de Futebol (LFP) anunciou hoje que vai analisar quinta-feira as declarações do avançado sueco, que classificou a França como "um país de m..." e que estão a gerar polémica.

© Regis Duvignau / Reuters

"Em 15 anos, nunca tinha assistido a uma arbitragem tão má, neste país de m... não merece o PSG", afirmou o internacional sueco depois do jogo de domingo, que a sua equipa perdeu por 3-2 frente ao Bordéus.

O avançado sueco do PSG,  que mais tarde pediu desculpas pelas palavras ditas "a quente", arrisca uma suspensão, que poderá afastá-lo do clássico Marselha-PSG, agendado para 5 de abril.

Em fevereiro, a Comissão de Disciplina de LFP suspendeu Zlatan Ibrahimovic por dois jogos, devido a uma entrada violenta sobre um jogador do Saint-Étienne, tendo falhado um jogo da liga francesa e um da taça da liga.

Entretanto, o sindicato dos árbitros de futebol de elite já se manifestou indignado pelas declarações do internacional sueco, considerando que "há limites que ninguém pode ultrapassar".

No domingo à noite, o jogador emitiu um comunicado no qual garantia que só estava a falar de futebol e não do país e pedia desculpa "às pessoas que se sentiram ofendidas".

O ministro do Desporto francês, Patrick Kanner, considerou que as desculpas do jogador são insuficientes.

"Teve um erro e não pediu desculpa aos árbitros, que devem estar preservados. Caso contrário, abre-se um caminho perigoso", disse Kanner.

Também hoje, a líder da Frente Nacional, Marine Le Pen, defendeu que Zlatan Ibrahimovic devia abandonar França devido aos "comentários insultuosos" depois da derrota em Bordéus.

Em declarações à rádio France Info, a líder do partido francês de extrema-direita afirmou que "os que consideram a França um país de m... podem sair".


Lusa
  • Caravana com cinzas de Fidel chega este sábado a Santiago de Cuba
    2:01
  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.