sicnot

Perfil

Desporto

Figo concorda com realização do Mundial 2022 no inverno

Luís Figo, candidato à presidência da FIFA, mostrou-se esta sexta-feira de acordo com a decisão de disputar o Mundial Quatar2022 durante os meses de novembro e dezembro, aprovada quinta-feira pelo comité executivo da FIFA.

"Creio que o Qatar merece respeito e agora, que há uma decisão, espero que todos consigam organizar um grande Mundial", afirmou Luís Figo, em comunicado. (Arquivo)

"Creio que o Qatar merece respeito e agora, que há uma decisão, espero que todos consigam organizar um grande Mundial", afirmou Luís Figo, em comunicado. (Arquivo)

Matt Dunham / AP

"Creio que o Qatar merece respeito e agora, que há uma decisão, espero que todos consigam organizar um grande Mundial", afirmou Luís Figo, em comunicado.

O antigo futebolista considerou que, no futuro, a escolha do local e do calendário do Mundial "deve ser o mais consensual possível, ter em conta saúde de jogadores, árbitros e adeptos, e tomada depois de terem sido consultados todos os envolvidos".

O Comité Executivo da FIFA anunciou quinta-feira que o Mundial de futebol do Qatar vai ser disputado em novembro e dezembro de 2022, com a final marcada para 18 de dezembro.

Pela primeira vez, um Campeonato do Mundo de futebol não vai ser jogado no verão, devido às elevadas temperaturas naquela zona durante os meses de junho e julho, data habitual da competição.

Luís Figo, de 42 anos, é um dos quatro candidatos à presidência da FIFA, agendadas para 29 de maio, e às quais concorrem também o atual presidente, Joseph Blatter, o príncipe jordano Ali bin Al Hussein, e Michael van Praag.

Na quinta-feira, o antigo jogador português tinha lamentado a inexistência de um debate entre os quatro candidatos.

"Lamento que não haja um debate entre os candidatos. Continuarei a apresentar as minhas ideias pela reforma e transparência no futebol", referiu Figo, numa mensagem divulgada nas redes sociais.
Lusa
  • António Costa evita perguntas sobre estágios não remunerados
    1:55
  • "É evidente que não fecho a porta ao Eurogrupo"
    1:38

    Economia

    O ministro das Finanças diz que não fecha a porta ao Eurogrupo. A declaração é feita numa entrevista ao semanário Expresso. No entanto, Mário Centeno deixa a ressalva que qualquer ministro das Finanças do Eurogrupo pode ser presidente.

  • Trump adia decisão sobre permanência nos acordos de Paris
    1:48
  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14