sicnot

Perfil

Desporto

Carlos Queiroz impedido de sair do Irão por dívidas ao fisco

Carlos Queiroz, que se demitiu do cargo de selecionador do Irão, foi esta manhã impedido de viajar para fora do país. As autoridades iranianas dizem que o técnico português tem dívidas ao fisco. Queiroz terá ficado furioso e tentado explicar que quem tem obrigação de pagar os impostos em causa é a federação de futebol iraniana.

© Jason Reed / Reuters

"Foi comunicado ao senhor [Carlos] Queiroz que está impedido de sair do país por falta de pagamento de impostos", noticiou a agência de notícias iraniana IRNA, que acrescenta que o técnico português "estava muito zangado" com a situação.

O treinador português  foi hoje impedido pelas autoridades de embarcar no aeroporto internacional Imam Khomeini. Apesar de demissionários, Carlos Queiroz integrava a comitiva da seleção iraniana que seguia para a Áustria, onde o Irão disputará um jogo particular com o Chile, St. Poelten, a 26 de março.

Cinco dias depois, a equipa iraniana, ainda sob o comando de Queiroz, disputa outro 'amigável' na Europa, em Solna, frente à Suécia. Após este jogo, Queiroz abandonará o cargo de selecionador. 

Segundo a IRNA, o contrato de Carlos Queiroz com a Federação Iraniana de Futebol estipula que compete ao organismo o pagamento dos impostos relativos aos rendimentos do selecionador.


Com Lusa
  • Jovens adoptados e filha do líder da IURD com versões diferentes dos acontecimentos
    4:06

    País

    Os jovens adoptados e a filha do bispo Edir Macedo, que alegadamente os adoptou, têm versões diferentes sobre o que aconteceu. Vera e Luís Katz garantem que foram adoptados por uma família norte-americana, com que viveram até aos 20 anos. Viviane Freitas, filha do líder da Igreja Universal do Reino de Deus, conta que foi mãe das crianças durante três anos, apesar de lhe ter sido negada a adopção.

  • Cabecilha da seita Verdade Celestial é "mentiroso, egocêntrico e psicótico"
    2:22

    País

    O cabecilha da seita "Verdade Celestial" foi condenado a 23 anos de pena de prisão por abusos sexuais de crianças e adolescentes. O juiz diz que o cabecilha do grupo era mentiroso patológico, egocêntrico, impulsivo e com personalidade psicótica. Dos oito acusados, duas mulheres foram absolvidas e seis arguidos foram condenados a penas efectivas. A rede de abusadores foi desmantelada há dois anos, numa quinta de Palmela.

  • Mau tempo obriga ao cancelamento de centenas de voos na Europa
    1:21