sicnot

Perfil

Desporto

Federação Iraniana diz ter resolvido problema de Carlos Queiroz com fisco

O secretário-geral da Federação Iraniana de Futebol, Alireza Assadi, disse hoje que ficou resolvido o problema que impediu o treinador português Carlos Queiroz, selecionador do Irão, de embarcar com a equipa no aeroporto internacional Imam Khomeini.

© Ivan Alvarado / Reuters

Carlos Queiroz foi barrado pelas autoridades por dívidas ao fisco, mas o responsável da federação assegurou à agência de notícias iraniana IRNA que já está tudo pago.

 "O problema dos impostos está pago. A federação está a tentar agora marcar um voo que permita ao senhor [Carlos] Queiroz juntar-se à seleção", explicou Alireza Assadi à IRNA.

Horas antes, a IRNA noticiou que Carlos Queiroz estava impedido de sair do Irão "por falta de pagamento de impostos", acrescentando que o técnico português "estava muito zangado" com a situação.

O antigo selecionador português, cujo vínculo com a seleção do Irão tinha sido renovado há seis meses até ao Mundial de 2018, na Rússia, já tinha anunciado que vai rescindir o contrato, embora se mantenha no cargo até 31 de março.

Quando foi barrado, Carlos Queiroz integrava a comitiva da seleção iraniana que seguia para a Áustria, onde o Irão disputará um jogo particular com o Chile, em St. Poelten, a 26 de março.

Cinco dias depois, a equipa iraniana, ainda sob o comando de Queiroz, disputa outro 'amigável' na Europa, em Solna, frente à Suécia. Após este jogo, Carlos Queiroz abandonará o cargo de selecionador. 

Segundo a IRNA, o contrato de Carlos Queiroz com a Federção Iraniana de Futebol estipula que compete ao organismo o pagamento dos impostos relativos aos rendimentos do selecionador.

Lusa
  • Curiosidades sobre o Mundial da Rússia
    3:08
  • Ronaldo no País dos Sovietes: Algumas curiosidades
    1:54
  • O choro intenso de Neymar explicado pelo próprio
    0:51
  • A queda aparatosa do selecionador do Brasil
    0:05
  • Dia de limpezas em Chaves após noite de chuva intensa e queda de granizo
    2:44
  • Athanasia, uma mulher sem medo das alturas
    0:35

    Mundo

    É grega, chama-se Athanasia Athineau, tem 29 anos e pertence à unidade de forças especiais da Grécia. O salto que podemos ver é de 10 mil pés, mas Athanasia faz também saltos de 30 mil. Neste caso, caíu a uma velocidade de 250 quilómetros por hora antes de abrir o pára-quedas.

  • Talheres de Hitler vendidos por 14 mil euros

    Mundo

    Um conjunto de duas facas, três colheres e três garfos de prata, que pertencia a Adolf Hitler, foi vendido em Dorset, Inglaterra, pelo valor de 12.500 libras (aproximadamente 14.200 euros). O serviço de talheres foi criado no âmbito das celebrações do 50.º aniversário do ditador nazi.

    SIC