sicnot

Perfil

Desporto

Holandês Van Praag considera ter a "experiência" para ser presidente da FIFA

O presidente da Federação Holandesa de Futebol, Michael Van Praag, candidato à presidência da FIFA, considerou esta segunda feira a "experiência" como um dos seus pontos fortes na corrida à liderança do organismo do futebol mundial.

(Reuters/ Arquivo)

(Reuters/ Arquivo)

© United Photos / Reuters

"Os meus pontos fortes? Tenho a experiência, fui presidente do Ajax e sou presidente da Federação Holandesa de Futebol", disse o dirigente, à margem da reunião do comité executivo e do congresso da UEFA, que decorre em Viena.

Van Praag concorre à liderança da FIFA frente ao presidente em funções, o suíço Joseph Blatter, ao príncipe jordano Ali Bin Al Hussein, vice-presidente da FIFA e membro do Comité Executivo, e ao português Luís Figo.

"Se for eleito não estarei na FIFA mais do que quatro anos", insistiu o holandês, de 67 anos, em contraponto a Joseph Blatter, de 79 anos, que concorre a um quinto mandato à frente do organismo.

"Na FIFA nunca se fala em reduzir custos. É o que proponho fazer, é mais democrático. O programa pode ser feito em quatro anos, e por isso não tenho que me preocupar ao fim de dois anos em preparar um mandato seguinte", justificou.

O dirigente holandês considerou ainda serem muito positivas as candidaturas de Figo e de Ali Bin Al Hussein, explicando que também eles terão a oportunidade de convencer outras pessoas de que a FIFA precisa de uma mudança.

"Eles podem falar com pessoas com as quais eu não tive tempo para falar", acrescentou, considerando que será muito mau a continuidade de Blatter.

O ex-futebolista português Figo conta com o apoio oficial da Dinamarca, Montenegro, Polónia, Macedónia, Luxemburgo e Portugal. 

As eleições para a presidência da FIFA realizam-se a 29 de maio.

Lusa

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15