sicnot

Perfil

Desporto

João Sousa desce um lugar e é 53º no ranking mundial de ténis

O tenista português João Sousa 'caiu' um lugar no 'ranking' mundial, surgindo na classificação de hoje na 53ª posição da hierarquia, que continua a ser liderada pelo sérvio Novak Djokovic.

(Reuters/ Arquivo)

(Reuters/ Arquivo)

© Brandon Malone / Reuters

Para a atualização da tabela contou a eliminação precoce do número um português no Masters 1000 de Indian Wells. João Sousa foi eliminado logo na primeira ronda, enquanto em 2014 tinha passado uma eliminatória no torneio californiano.

Na 'cabeça' da classificação, Djokovic, que venceu pela quarta vez o torneio de Indian Wells, manteve os 4.000 pontos de vantagem sobre o suíço Roger Federer, derrotado pelo sérvio na final de domingo.

Nesse confronto, Djokovic alcançou a 18.ª vitória sobre Federer, que continua a ter vantagem na contabilidade dos confrontos diretos com o sérvio, tendo ganhado 20 dos 38 frente a frente.

Entre o grupo de elite dos 10 melhores, o espanhol David Ferrer, vice-campeão da edição de 2013 do 'antigo' Estoril Open, foi 'promovido' uma posição, aparecendo na lista de hoje em sétimo lugar.

O número dois espanhol desalojou o suíço Stanislas Wawrinka, o campeão do torneio português precisamente em 2013 e que agora é o oitavo do circuito.

Em femininos, o topo da tabela continua a ser encabeçado pela norte-americana Serena Williams, que reforçou o comando apesar de ter sido forçada a desistir, por lesão, nas meias-finais de Indian Wells.

De regresso à prova californiana após 14 anos de boicote, por ter sido vítima de racismo na final de 2001, Williams dilatou a vantagem para a russa Maria Sharapova, agora a 1.712 pontos de distância.

Sharapova também passou a estar mais 'ameaçada' por Simona Halep, que se sagrou campeã em Indian Wells. A romena entrou para o torneio norte-americano a 1.644 pontos de desvantagem para a russa e na lista de hoje reduziu a margem para 1.089 pontos.

Michelle de Brito, eliminada na segunda ronda do 'qualifying' de Indian Wells, desceu três posições na classificação do circuito e ocupa agora o lugar 124.


Lusa
  • Paulo Macedo pede calma para o bem do banco
    1:45

    Caso CGD

    Paulo Macedo falou pela primeira vez desde que foi eleito o novo Presidente da Caixa Geral de Depósitos e, para o bem do banco público, pediu calma a todos. Passos Coelho veio dizer que a recapitalização da Caixa pode ter de ser feita no verão do próximo ano para salvaguardar o défice deste ano. Já António Costa preferiu não comentar as declarações de Passos e diz que o banco público há muito que precisava de ser recapitalizado.

  • Condutores continuam com dúvidas em como circular numa rotunda
    2:06

    País

    Circular nas rotundas continua a ser um problema para muitos condutores. Cerca de 3 mil foram multados nos últimos três anos depois da entrada em vigor do novo código, os números são avançados pela Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária. Os instrutores de condução dizem que a medida provoca mais confusão nas horas de ponta.

  • O que aconteceu à menina síria que relatava a guerra no Twitter?
    1:59
  • Youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Reportagem da SIC "Renegados"
    1:27

    Grande Reportagem SIC

    O youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Grande Reportagem SIC "Renegados". Desde ontem já teve 67 mil visualizações no Facebook. Imagine que ia renovar o cartão de cidadão e diziam-lhe que afinal não é português? Mesmo tendo nascido, crescido, estudado e trabalhado sempre em Portugal? Foi o que aconteceu a inúmeras pessoas que nasceram depois de 1981, quando a lei da nacionalidade foi alterada.«Renegados» é como se sentem estes filhos de uma pátria que os excluiu. Para ver, esta quarta-feira, no Jornal da Noite da SIC.

  • "A nossa guerra não deixou heróis, só vilões e vítimas"
    5:26

    Mundo

    Luaty Beirão é o rosto mais visível de um movimento de contestação ao regime angolano que começou em 2011, ano da Primavera árabe. Mas a par dos 15+2, mediatizados num processo que os condenou por lerem um livro, outros activistas arriscam diariamente a liberdade.