sicnot

Perfil

Desporto

Ministério Público pede dois anos de prisão para o presidente do Barcelona

O Ministério Público espanhol pediu dois anos e três meses de prisão para o presidente do FC Barcelona, Josep Maria Bartomeu, e sete anos e três meses para o antecessor, Sandro Rosell, por delitos fiscais no âmbito do 'caso Neymar'.

© Albert Gea / Reuters

De acordo com a agência noticiosa Efe, com base em informação recolhida junto de fontes judiciais, o despacho de acusação pede também que seja aplicada uma multa de 22 milhões de euros ao Barcelona devido a ilegalidades no processo de transferência do futebolista internacional brasileiro.

Bartomeu e Rosell são acusados de delitos fiscais, com o antigo presidente do Barcelona a ser também acusado de um crime de gestão danosa, pela participação no processo através do qual o clube catalão deixou de pagar ao fisco perto de 13 milhões de euros (ME).

Além das penas de prisão, o procurador pediu ainda que Rosell seja multado em 25,1 ME, por dois delitos fiscais, cometidos em 2011 e 2013, e Bartomeu em 3,8 ME, por um crime fiscal cometidos em 2014.

O despacho disseca os diferentes contratos criados a fim de antecipar em um ano a contratação de Neymar e de permitir declarar à Autoridade Tributária espanhola um valor substancialmente inferior aos 83,3 ME que teve de pagar pela contratação do avançado brasileiro.

Segundo o mesmo documento, a decisão de antecipar a contratação de Neymar aconteceu durante uma reunião entre Rosell e Bartomeu em fevereiro de 2013, o que resultou no aumento significativo dos custos do processo de transferência, que foram camuflados através da celebração de vários contratos.

"Para levar a cabo esse plano e com a intenção de ocultar o custo real do jogador [Rosell] planeou dividir o pagamento por várias partes, formalizando uma série de contratos com o Santos e com Neymar, com diversos objetos e denominações, mas que tinham um único fim: a contratação de Neymar", defende o Ministério Público.









Lusa
  • Obras no Miradouro de São de Pedro de Alcântara não foram a concurso
    2:50

    País

    As obras no Miradouro de São Pedro de Alcântara, em Lisboa, arrancaram esta segunda-feira. A intervenção foi adjudicada à construtora Teixeira Duarte sem concurso público. A autarquia justifica esta decisão com o caráter urgente da obra, argumento que não consta do relatório do Laboratório Nacional de Engenheria Civil, a que a SIC teve acesso.

  • Rajadas de vento em Moscovo atingem os 110 km/hora
    0:57

    Mundo

    A passagem de uma tempestade por Moscovo fez pelo menos 11 mortos e mais de 50 feridos. Os ventos fortes, que chegaram aos 110 km/hora, destruíram carros e telhados e provocaram atrasos nos transportes. Na região de Stavropol, mais de 60 mil pessoas foram retiradas de casa por perigo de cheias.