sicnot

Perfil

Desporto

Luís Figo eleito para o Salão da Fama do futebol mexicano

O ex-futebolista português Luís Figo, candidato à presidência da FIFA, foi uma das 11 personalidades eleitas para entrar para o Salão da Fama do futebol mexicano, numa lista anunciada na segunda-feira.

"Creio que o Qatar merece respeito e agora, que há uma decisão, espero que todos consigam organizar um grande Mundial", afirmou Luís Figo, em comunicado. (Arquivo)

"Creio que o Qatar merece respeito e agora, que há uma decisão, espero que todos consigam organizar um grande Mundial", afirmou Luís Figo, em comunicado. (Arquivo)

Matt Dunham / AP


Luís Figo, que jogou no Sporting, no FC Barcelona, no Real Madrid e no Inter de Milão, recebeu a Bola de Ouro em 2000 e o prémio da FIFA para melhor jogador de 2001.

Além de Luís Figo, fazem parte da quinta geração de figuras homenageadas pelo Salão da Fama do futebol mexicano o holandês Ruud Gullit, o argentino Daniel Passarella e o selecionador espanhol, Vicente del Bosque.

Também selecionado foi Alcides Ghiggia, que marcou o golo do triunfo do Uruguai na final do Mundial de 1950, frente ao anfitrião Brasil, além do ex-guarda-redes argentino e do húngaro Ladislao Kubala.

Do futebol mexicano, foram nomeados o avançado Luís García e os treinadores Víctor Manuel Vucetich e Enrique Meza, com a norte-americana Michelle Akers a ser a representante do futebol feminino.

No Salão da Fama mexicano estão alguns dos melhores jogadores e treinadores da história do futebol mundial, com destaque para o brasileiro Pelé e o argentino Diego Armando Maradona.

  • "É evidente que não fecho a porta ao Eurogrupo"
    1:38

    Economia

    O ministro das Finanças diz que não fecha a porta ao Eurogrupo. A declaração é feita numa entrevista ao semanário Expresso. No entanto, Mário Centeno deixa a ressalva que qualquer ministro das Finanças do Eurogrupo pode ser presidente.

  • Itália tenta colocar migrações na agenda do G7 contra vontade dos EUA
    1:45
  • Com a multiplicação de bons indicadores económicos e financeiros do país, multiplicam-se os elogios ao Governo e declaram-se mortas e enterradas as políticas do passado recente, nomeadamente a da austeridade. Nada mais errado. O que os bons resultados agora alcançados provam definitivamente é que a austeridade resolveu de facto os problemas das contas públicas e, mais do que isso, contribuiu para o crescimento económico que foi garantido por reformas estruturais e pela reorientação do modelo económico.

    José Gomes Ferreira

  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14
  • Portugal pode ser atingido por longos períodos de seca

    País

    Portugal e Espanha podem ser atingidos até 2100 por 'megasecas', períodos de seca de dez ou mais anos, segundo os piores cenários traçados num estudo da universidade britânica Newcastle, que tem a participação de uma investigadora portuguesa.