sicnot

Perfil

Desporto

Ibrahimovic sente-se injustiçado pelas arbitragens

O sueco Zlatan Ibrahimovic, do Paris Saint-Germain, reforçou hoje o sentimento de injustiça perante as arbitragens, que recentemente o fez desabafar que a França era um "país de m..."

© Regis Duvignau / Reuters

"Fui punido em vez do árbitro pelos erros que ele cometeu", lamentou o internacional sueco, em Solna, arredores de Estocolmo, onde está ao serviço da sua seleção, que vai defrontar sexta-feira a Moldávia em jogo de preparação para a qualificação para o Euro2016.

Ibrahimovic foi convocado a explicar-se à comissão de disciplina da Liga francesa pelas injúrias proferidas após o desaire 3-2 em Bordéus, a 15 de março, quando se dirigia para os balneários.

A propósito das declarações sobre o país, a estrela sueca negou o seu alegado desamor pelo campeonato gaulês: "Eu sinto-me bem em França. Tudo o resto são tretas. Não viria para França se não gostasse, nem prolongaria o meu contrato se não a amasse. Não ficaria cá tanto tempo sem gostar". 

Ibrahimovic falou ainda da sua expulsão quatro dias antes do desaire de Bordéus, em jogo em Londres, frente ao Chelsea, na Liga dos Campeões, não entendendo porque foi punido.

"Se analisarmos a situação, sou ainda mais sancionado por um cartão vermelho injustificado no qual o árbitro errou. (...) Não é aceitável. Como devemos interpretar isto?", questionou.

Em função da expulsão, o sueco foi suspenso por um jogo, pelo que não poderá atuar na primeira mão dos quatros de final da 'Champions", frente ao Barcelona, em Paris.


Lusa
  • UEFA suspende Zlatan Ibrahimovic por um jogo

    Desporto

    O Comité Disciplinar da UEFA suspendeu esta quinta-feira, por um jogo, o avançado sueco Zlatan Ibrahimovic, do Paris Saint-Germain, expulso na segunda mão dos oitavos de final da Liga dos Campeões de futebol, frente ao Chelsea.

  • Porque pediu desculpa Ibrahimovic?
    1:54

    Desporto

    Zlatan Ibrahimovic já pediu desculpas a quem se sentiu ofendido. O sueco do Paris Sain Germain está no centro de uma polémica em França por causa do que disse a seguir à derrota em Bordéus. Palavras que levaram até a reacções políticas.