sicnot

Perfil

Desporto

Fernando Alonso diz se lembra do acidente e fala em falhas na direção

O piloto espanhol Fernando Alonso (McLaren) disse hoje lembrar-se do acidente que sofreu em fevereiro durante uma sessão de testes de Fórmula 1 e que o mesmo se deveu a uma falha na direção.

© Reuters Staff / Reuters

"Fui para o hospital em boas condições. Há um período de tempo do qual não me lembro, entre as 14:00 e as 16:00, mas isso é normal, foi por causa da medicação", afirmou o campeão mundial de Fórmula 1 de 2005 e 2006, que se prepara para regressar à competição este fim de semana, no Grande Prémio da Malásia, em Sepang. 

Alonso negou a versão de que depois do acidente, ocorrido a 22 de fevereiro no circuito de Montmeló, Espanha, teria proferido afirmações que indiciavam que tinha perdido a memória dos últimos 20 anos.

"Não acordei em 1995, não falei italiano. Lembro-me do acidente e de tudo o que se passou no dia seguinte", assegurou.

O regresso do piloto espanhol, que falhou o arranque do Mundial, em Melbourne, Austrália, foi confirmado na terça-feira pela escuderia britânica.

A 22 de fevereiro, quando já tinha realizado cerca de 20 voltas ao circuito espanhol, Alonso saiu de pista e embateu num muro de proteção, acidente que, na altura, se pensou ter sido provocado pelos ventos fortes e irregulares.

A McLaren garantiu, dias depois, não ter verificado qualquer falha mecânica, mas hoje o piloto afirmou ter sentido problemas na direção.

"Não há uma causa clara, mas houve um problema na direção, bloqueou na direita e fui contra o muro. É evidente que houve um problema com o carro, mas não o detetámos. Passou mais de um mês e não encontrámos nada, talvez nunca encontremos, mas nesta corrida vamos estar mais atentos a determinadas partes do carro", disse.

Fernando Alonso explicou que para a prova de Sepang o carro foi equipado com novos sensores e sofreu alterações na direção e reiterou a sua total confiança na equipa da McLaren.








Lusa
  • Trump cria linha de apoio a vítimas de "extraterrestres criminosos"

    Mundo

    Quando o Governo norte-americano usa o termo "extraterrestre criminoso", refere-se a alguém que não é cidadão dos Estados Unidos da América e que foi condenado por um crime. Quando a mesma expressão é usada pelos utilizadores do Twitter, o significado é completamente diferente. Os internautas pensam na série Ficheiros Secretos e em discos voadores. Por isso, o lançamento de uma linha telefónica, por parte da Casa Branca, para as vítimas de "extraterrestres criminosos" só podia dar em confusão.

  • Casados há 69 anos, morrem de mãos dadas com 40 minutos de diferença

    Mundo

    Isaac Vatkin, de 91 anos, morreu cerca de 40 minutos depois de Teresa, de 89 anos, no passado sábado no Highland Park Hospital, no estado norte-americano Ilinóis. "Não queríamos que fossem embora, mas não podíamos pedir que partíssem de melhor maneira", afirmou o neto William Vatkin. O casal morreu no hospital poucos dias depois de celebrarem 69 anos de casados.