sicnot

Perfil

Desporto

José Mourinho afasta possibilidade de Diego Costa ser operado

O futebolista internacional espanhol Diego Costa não terá que ser operado para resolver a lesão num tendão do joelho, disse hoje o treinador português do Chelsea, José Mourinho.

© Action Images / Reuters

O técnico convocou o avançado, o melhor marcador na Liga inglesa, a par de Harry Kane, do Tottenham, ambos com 19 golos, para o jogo de sábado, em Stamford Bridge, frente ao Stoke City.

Diego Costa esteve nos últimos dias de fora dos jogos da seleção espanhola, com a Ucrânia (1-0), de qualificação para o Euro2016, e com a Holanda (derrota 2-0), em jogo particular, mas José Mourinho insistiu que o procedimento nos 'blues' é o melhor.

"Trabalhar como ele [Diego Costa] tem feito ao longo da época, com prevenção para fortalecer o músculo, mas ao mesmo tempo que tenha elasticidade e flexibilidade", sustentou o técnico português.

José Mourinho esclareceu que entende, juntamente com o departamento médico, que a operação é o último recurso para qualquer lesão, e que, por isso, estão a optar por uma via mais conservadora.

Na conferência, a um dia de receber o Stole City, o técnico defendeu que agora são quatro os candidatos ao título na Liga inglesa, com o Chelsea a contar na corrida com as duas equipas de Manchester (City e United) e com o Arsenal.

"Temos que dizer quatro agora, existe um fosso do quarto para o quinto [Liverpool, a quatro pontos] e com oito jogos para o final existe um caminho difícil do quinto ao primeiro", frisou Mourinho.

O Chelsea lidera o campeonato com 67 pontos e menos um jogo, seguido do Manchester City com 61, do Arsenal com 60 e do Manchester United com 59.

O treinador reconheceu que os 'blues' estão no bom caminho, mas referiu que ainda faltam seis vitórias e um empate, considerando ainda ser prematuro antecipar uma vitória na competição.








Lusa
  • Fuga de Vale de Judeus em junho de 1975 no Perdidos e Achados
    0:36

    Perdidos e Achados

    Prisão Vale de Judeus, final de tarde de domingo, dia 29 de junho de 1975. O plano da fuga terá sido desenhado por uma vintena de homens. Serrada a presiana metálica era preciso passar, para fora do edifício, as cabeceiras dos beliches onde os presos dormiam. Ao longo de cerca de uma hora 89 detidos, agentes da PIDE/DGS, a Polícia Internacional e de Defesa do Estado português extinta depois da revolução de 1974, fogem do estabelecimento prisional.

    Segunda-feira no Jornal da Noite