sicnot

Perfil

Desporto

Mais de 20 treinadores portugueses ensinam futebol na China

Joaquim Rolão Preto, diretor-técnico da "Winning League/Figo Football Academy", não tem dúvidas: no domínio do futebol, "a China está no bom caminho, mas a caminhada vai demorar anos".

© China Stringer Network / Reut

"Faltam treinadores. Ainda não há na China uma carreira reconhecida de treinadores", disse Joaquim Preto acerca do plano de "reforma do futebol" anunciado no mês passado pelo governo chinês e que visa elevar o país ao estatuto de grande potência que já conquistou noutras modalidades.

E tendo em conta a população chinesa (cerca de 1.350 milhões de habitantes), "o número de praticantes de futebol federados é mínimo", realçou também o técnico português.

Treinador-adjunto do Sporting Clube de Portugal quando os "leões" ganharam pela última vez o campeonato português, em 2001/2002, Joaquim Preto, 55 anos, já trabalhou em França, Grécia, Bélgica e Emirados Árabes Unidos.

 "Há cerca de 250 treinadores profissionais portugueses a trabalhar no estrangeiro", salientou Joaquim Preto a propósito da "notoriedade internacional" alcançada por Portugal no domínio do futebol.

"Portugal tem exportado muitos jogadores, mas também muitos treinadores", acrescentou.

Joaquim Preto chegou a Pequim na primavera de 2014, acompanhado por seis treinadores, para dirigir a primeira escola de uma academia privada chinesa que ostenta o nome do antigo capitão da seleção portuguesa.

"Vai ser uma experiência única. Em termos de formação, a China está a zero. Vamos estimular o entusiasmo pelo futebol", disse na altura o técnico português. 

Um ano depois, a academia já esta implantada em mais sete cidades chinesas e tem, no conjunto, cerca de 2.000 alunos dos 5 aos 13 anos.

Entretanto, o número de treinadores portugueses contratados pela academia, todos diplomados pela Federação Portuguesa de Futebol e a UEFA, subiu para 25 e "muito em breve virão mais dois".

O objetivo é "dinamizar o futebol infantil", uma das principais carências da China, e "promover uma matriz competitiva" entre os mais novos praticantes da modalidade, mas Joaquim Preto já pensa também em "organizar cursos para treinadores".

De acordo com a referida "reforma do futebol", nos próximos cinco anos, a prática daquela modalidade vai passar a ser "uma componente obrigatória" da disciplina de Educação Física em 20.000 escolas e este número deverá chegar aos 50.000 em 2025.

 "Revitalizar o futebol é uma tarefa obrigatória para transformar a China numa potência desportiva, o que é parte integrante do sonho chinês e também o desejo do povo", diz o plano, aprovado pelo "Grupo Dirigente do Partido Comunista China (PCC) encarregue do aprofundamento das reformas", um organismo liderado pelo Presidente da República, Xi Jinping.

O futebol só foi profissionalizado na China no início da década de 1990, quando a liderança do PCC aboliu o sistema de "planificação central", típica dos regimes comunistas, e adotou um novo modelo, chamado "economia de mercado socialista".

 Duas décadas mais tarde, a China tornou-se a segunda economia mundial, a seguir aos Estados Unidos, mas figura em 83.º no ranking da FIFA, atrás de muitas pequenas nações em vias de desenvolvimento.


Lusa
  • Porque erram os árbitros?
    2:03

    Desporto

    Num momento em que a polémica em redor da arbitragem está acesa e que nem o videoárbitro parece ter contribuído para a pacificar o futebol, em Leiria juntaram-se treinadores e homens do apito para se entender porque erram os árbitros.

  • "Não andámos a tomar calmantes, nem a dar abracinhos"
    0:52

    Desporto

    Rui Vitória recusa atirar a toalha ao chão. O treinador do Benfica acredita que ainda muito pode acontecer e revela a motivação da equipa depois da derrota com o FC Porto na Luz, que levou à perda da liderança a quatro jornadas do fim.

  • "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos"

    Mundo

    "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos", esta foi apenas uma das declarações de Karl Lagerfeld sobre as denúncias de abuso sexual, que estão a marcar o mundo do cinema, da música e da moda. Numa entrevista, o diretor criativo da Chanel e da Fendi declarou mesmo que estava farto do #MeToo, o movimento usado para denunciar estes casos de abusos por todo o mundo.

    SIC

  • Viagem de balão para ver as cerejeiras em flor
    14:27
  • Niassa foi o 4.º lince-ibérico libertado a ser atropelado em Portugal
    1:33

    País

    Uma fêmea de lince-ibérico foi encontrada morta com sinais de atropelamento na A22, próximo de Olhão. A fêmea, criada em cativeiro, tinha sido libertada no Vale do Guadiana em fevereiro de 2017. É o quarto lince-ibérico, que tinha sido libertado na natureza, que morre atropelado em Portugal.

  • "Há uma aceitação do lince no território"
    3:33

    País

    Apesar de já se terem registado em Portugal quatro atropelamentos de linces libertados na natureza, em entrevista à SIC, Pedro Rocha, do Departamento do Alentejo do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), disse que o programa de reintrodução "tem corrido bastante bem", não só devido às condições do habitat e disponibilidade de alimento, mas também porque "há uma aceitação do lince no território". Desde 2015, foram libertados no Vale do Guadiana 33 linces e 16 já nasceram em estado selvagem.

  • EUA acusam Síria de tentar apagar provas de alegado ataque químico em Douma
    1:28
  • Já pode escolher uma morte amiga do ambiente

    Mundo

    Preocupa-se com o ambiente? Recicla? Prefere andar a pé ou partilhar transportes? Então saiba que a partir de agora a morte também pode ser amiga do ambiente. Desde caixões degradáveis de vime a cremação líquida, já é possível diminuir o impacto ambiental da morte.

    SIC

  • O "anjo" que quer ensinar raparigas a programar
    2:59