sicnot

Perfil

Desporto

Figo lembra que "não haverá votação em bloco" nas eleições da FIFA

O antigo futebolista português Luís Figo, candidato à presidência da FIFA, lembrou hoje que "não haverá votação em bloco" nas eleições do organismo que rege o futebol mundial, numa publicação na sua página oficial no Facebook.

© Action Images / Reuters

"Nas eleições para a presidência da FIFA não haverá votos em bloco e cada federação decidirá o seu voto em consciência. Obrigado pelo apoio aos meus muitos amigos africanos", observou o recordista de internacionalizações por Portugal, com 127 presenças pela equipa lusa.

Figo respondia às declarações proferidas na terça-feira pelo presidente da Confederação Africana de Futebol (CAF), o camaronês Issa Hayatou, manifestando o seu apoio ao suíço Joseph Blatter, atual presidente da FIFA e que lidera o organismo desde 1998.

Hayatou expressou o apoio a Blatter na abertura do 37.º congresso da CAF, que decorre no Cairo, mas Figo, que também está na capital egípcia, disse ter a certeza que o camaronês "não falou em nome dos 54 membros" da confederação africana.

Além de Figo e Blatter, considerado o principal favorito à reeleição para um quinto mandato, concorrem também à presidência da FIFA o príncipe Ali bin Al Hussein, da Jordânia, vice-presidente do organismo, e Michael van Praag, líder da federação holandesa.

As eleições para a presidência do organismo que rege o futebol mundial realizam-se a 29 de maio, no segundo de dois dias de congresso da FIFA, em Zurique, na Suíça.

Lusa
  • Novas regras para os pagamentos em dinheiro vivo

    Economia

    Os pagamentos em dinheiro acima de 3.000 euros são proibidos a partir de quarta-feira, mas aos não residentes são permitidos pagamentos até 10 mil euros, ou o equivalente em moeda estrangeira, segundo um diploma hoje publicado.

  • Brasileiros procuram Portugal
    3:59

    País

    Viver em Portugal é hoje em dia um grande sonho da classe média brasileira. De acordo com o Ministério dos Negócios Estrangeiros, só em 2016, o número de vistos de residência aumentarem em mais de 30%. A língua, a segurança e a qualidade de vida são as razões apontadas para a mudança. Todos os dias, no consulado português no Rio de Janeiro, para a obtenção de vistos.