sicnot

Perfil

Desporto

João Sousa sobe um posto no ranking, Djokovic lidera pela 142ª semana seguida

O português João Sousa subiu hoje para o 56.º posto do 'ranking' mundial de ténis, que é, pela 142.ª semana consecutiva, liderado pelo sérvio Novak Djokovic, que se tornou no sexto jogador com uma melhor série.

© Brandon Malone / Reuters

João Sousa subiu um lugar na hierarquia mundial e continua a ser o único português no 'top-100', com Gastão Elias a seguir na 125.ª posição, Rui Machado a cair para a 237.º e Frederico Silva a subir para 274.º.

No topo da tabela, Djokovic tornou-se com mais semanas consecutivas no comando, ultrapassando o espanhol Rafael Nadal, ficando apenas atrás do suíço Roger Federer (302) e dos norte-americanos Pete Sampras (286), Ivan Lendl (270), Jimmy Connors (268) e John McEnroe (170).

No 'ranking' feminino, Michelle Larcher de Brito subiu duas posições, para 127.º posto, com a norte-americana Serena Williams a manter-se no comando, à frente da russa Maria Sharapova e da romena Simona Halep.

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Recuo na saúde é primeira derrota de peso para Donald Trump
    1:18

    Mundo

    O Presidente norte-americano sofreu esta sexta-feira uma derrota de peso. O líder da Câmara dos Representantes retirou a proposta do plano de saúde de Trump, que se preparava para um chumbo na câmara baixa do Congresso. Para já, mantém-se o Obamacare.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.