sicnot

Perfil

Desporto

Associação Europeia de Atletismo surpreendida com atribuição de Mundiais aos EUA

O presidente da Associação Europeia de Atletismo (AEA), o norueguês Svein Arne Hansen, mostrou-se hoje surpreendido com a atribuição da organização dos Mundiais atletismo de 2021 à cidade norte-americana de Eugene.

O atletismo sofreu em meados de julho um grande abalo, com o anúncio  de controlos positivos aos velocistas Tyson Gay e Asafa Powel e a Veronica  Campbell-Brown(na foto, à esquerda) (Reuters/ Arquivo)

O atletismo sofreu em meados de julho um grande abalo, com o anúncio  de controlos positivos aos velocistas Tyson Gay e Asafa Powel e a Veronica  Campbell-Brown(na foto, à esquerda) (Reuters/ Arquivo)

© Gary Hershorn / Reuters

"Gostaria de felicitar a federação dos Estados Unidos e Vin Lananna, que liderou o projeto de Eugene, mas devo dizer que estou surpreendido pela inexistência de um processo de eleição", disse Hansen, em comunicado.

A Federação Internacional de Atletismo (IAAF) atribui, por escolha direta, à cidade norte-americana de Eugene, no estado de Oregon, a organização dos Mundiais de atletismo de 2021, competição que se realizará pela primeira vez nos Estados Unidos.

"A IAAF sabia que a Gotemburgo era uma séria candidata aos Mundiais de 2021. A federação sueca e a cidade trabalharam muito neste anos para a candidatura, e nem sequer tiveram oportunidade de a apresentar", refere o comunicado de Svein Arne Hansen, que foi eleito no sábado para a presidência da AEA.

O dirigente acrescenta que a escolha de Eugene "não é uma boa notícia para o desenvolvimento do atletismo no continente europeu" e manifesta a esperança de que a competição regresse ao "velho continente" em 2023.

A decisão de entregar a competição sem o habitual processo de candidatura não é inédita, tendo já ocorrido aquando da escolha de Osaka, no Japão, para os Mundiais de 2007.

A maior competição mundial de atletismo, que se realizou pela primeira vez em 1983, em Helsínquia, vai ser disputada este ano em Pequim, na quarta ocasião organizada fora da Europa, depois das competições realizadas no Japão e no Canadá.

Em 2017, os Mundiais vão ser organizados em Londres.

Lusa
  • "Quem faz isto sabe estudar os dias e o vento para arder o máximo possível"
    4:15
  • O balanço trágico dos incêndios do fim de semana
    0:51

    País

    Mais de 500 mil hectares de área ardida, 42 vítimas mortais, 71 de feridos, dezenas de casas e empresas destruídas. É este o balanço de mais um fim de semana trágico para Portugal a nível de incêndios florestais.

  • 2017: o ano em que mais território português ardeu
    1:41

    País

    Desde janeiro, houve mais área ardida do que em qualquer outro ano na história registada de incêndios florestais. Segundo dados provisórios do Sistema Europeu de Informação sobre Fogos Florestais, mais de 519 mil hectares foram consumidos pelas chamas até 17 de outubro, o que representa quase 6% de toda a área de Portugal. 

  • "Viverei com o peso na consciência até ao último dia"
    3:00
  • O que resta de Tondela depois dos incêndios
    1:07

    País

    O concelho de Tondela é agora um mar de cinzas, imagens recolhidas pela SIC com um drone mostram bem a dimensão do que foi destruído pelos incêndios. Perto 100 habitações principais ou secundárias, barracões, oficinas e stands arderam. 

  • Moradores reuniram esforços para salvar idosos das chamas em Pardieiros
    2:50

    País

    O incêndio de domingo em Nelas fez uma vítima mortal: um homem de 50 anos, de Caldas da Felgueira, que regressava de uma aldeia vizinha, onde tinha ido ajudar a combater as chamas. Em Pardieiros, no concelho de Carregal do Sal, várias casas arderam e uma jovem sofreu queimaduras ao fugir do incêndio. Durante o incêndio, pessoas reuniram esforços para salvar a povoação.

  • A fotografia que está a correr (e a impressionar) o Mundo

    Mundo

    A fotografia de uma cadela a carregar, na boca, o cadáver calcinado da cria está a comover o mundo. Entre as muitas fotografias que mostram o cenário causado pelos incêndios que devastaram a Galiza nos últimos dias, esta está a causar especial impacto. O registo é do fotógrafo Salvador Sas, da agência EFE. A imagem pode impressionar os mais sensíveis.

  • As lágrimas do primeiro-ministro do Canadá

    Mundo

    O primeiro-ministro da Canadá, Justin Trudeau, emocionou-se esta quarta-feira ao falar de um artista que morreu depois de perder uma luta contra o cancro. Gord Downie, vocalista da banda de rock canadiana "The Tragically Hip", faleceu esta terça-feira, aos 53 anos, vítima de um tumor cerebral.