sicnot

Perfil

Desporto

Quaresma e Jackson Martínez na equipa ideal da UEFA

Ricardo Quaresma e Jackson Martinez, jogadores em destaque no triunfo do FC Porto sobre o Bayern Munique (3-1), integram a equipa ideal da UEFA, após a primeira mão dos quartos de final da Liga dos Campeões de futebol.

No Estádio do Dragão, o internacional português Quaresma bisou aos três minutos, de grande penalidade, e aos 10, enquanto o colombiano Jackson Martinez, que regressou após lesão, reforçou a vantagem dos portistas na eliminatória, aos 65.

No Estádio do Dragão, o internacional português Quaresma bisou aos três minutos, de grande penalidade, e aos 10, enquanto o colombiano Jackson Martinez, que regressou após lesão, reforçou a vantagem dos portistas na eliminatória, aos 65.

© Miguel Vidal / Reuters

No Estádio do Dragão, o internacional português Quaresma bisou aos três minutos, de grande penalidade, e aos 10, enquanto o colombiano Jackson Martinez, que regressou após lesão, reforçou a vantagem dos portistas na eliminatória, aos 65.

O Atlético Madrid, que empatou a zero na receção ao Real Madrid, 'cede' três jogadores à equipa ideal da UEFA, assim como o FC Barcelona, que foi à capital francesa bater o Paris Saint-Germain, por 3-1.

Do lado dos 'colchoneros', o organismo que rege o futebol europeu destaca o guarda-redes Oblak, ex-Benfica, e os defesas Godin e Siqueira, este último também antigo jogador do clube da Luz. Quanto aos catalães, Suárez, que bisou em Paris, aparece no `onze´, assim como Mascherano e Busquets.

Sergio Ramos (Real Madrid), Arturo Vidal (Juventus) e Thiago Alcantara (Bayern Munique) completam a equipa ideal da UEFA depois da primeira mão dos 'quartos' da 'Champions'.

A segunda mão está agendada para 21 e 22 de abril.
Lusa
  • Catalunha vs Espanha
    29:35

    Grande Reportagem SIC

    2017 ficará como o ano da Catalunha e de como a região espanhola foi falada em todo o mundo, por causa do grito de independência que não aconteceu. O jornalista Henrique Cymerman esteve na Catalunha e foi um dos poucos repórteres do mundo que conseguiu chegar ao esconderijo do presidente demissionário do Governo catalão, Carles Puigdemont, em Bruxelas.