sicnot

Perfil

Desporto

Benfica-FC Porto com casa cheia após venda dos últimos 500 bilhetes

O Benfica anunciou hoje que os bilhetes para o 'clássico' de domingo, com o FC Porto (17:00), no Estádio da Luz, da 30.ª jornada da I Liga de futebol, estão esgotados, esperando-se casa cheia.

© Regis Duvignau / Reuters

"Já não há bilhetes para o clássico de domingo, referente à 30.ª jornada", revelou o clube 'encarnado' no seu sítio oficial, em alusão aos restantes 500 bilhetes que hoje de manhã tinham sido colocados à venda.

O jogo de domingo deverá, assim, registar a maior enchente da época, num jogo em que o FC Porto tem direito a pouco mais de 3.000 bilhetes, correspondentes aos cinco por cento destinados ao clube visitante e que também hoje esgotaram nas bilheteiras do Estádio do Dragão.

Nas assistências da I Liga o jogo com mais adeptos foi o dérbi entre Benfica e Sporting, à terceira jornada (1-1), com 61.895 adeptos no Estádio da Luz.

Não é previsível que o estádio tenha todos os lugares ocupados no domingo, pouco mais de 65.000 lugares, devido a questões de segurança, mas é possível que o número supere o que se verificou no jogo com o Sporting.

Ao Benfica, clube que tem o estádio com maior capacidade no país, pertencem as três melhores assistências da época, nas receções a Sporting (61.895), Sporting de Braga (60.222) e Académica (56.197).

O jogo de domingo tem o aliciante, além de ser um clássico, de ser crucial na luta pelo título: a cinco jornadas do final o Benfica (74) lidera com mais três pontos do que o FC Porto (71) e com a vantagem de ter vencido no Dragão por 2-0.

O portuense Jorge Sousa será o árbitro do encontro, cujo início está agendado para as 17:00.


  • Fãs de Bruno Mars passaram a noite ao relento
    2:35
  • Comandante da Proteção Civil confiante nos meios de combate aos incêndios
    1:56

    País

    Depois das falhas apontadas ao sistema de comunicações SIRESP durante os incêndios do ano passado, o cComandante operacional da Proteção Civil diz que não há meios de comunicação infalíveis. Duarte Costa acredita que este verão será mais calmo do que anterior e contabiliza já mais de 2000 incêndios desde maio que não foram notícia.