sicnot

Perfil

Desporto

Benfica com Talisca no lugar de Salvio e Helton no onze do FC Porto

O brasileiro Talisca vai substituir o lesionado Salvio no 'onze' do Benfica que vai defrontar hoje o FC Porto, na 30.ª jornada da I Liga de futebol enquanto a titularidade do guarda-redes Helton é a grande novidade nos 'dragões'.

ESTELA SILVA / Lusa

O jogador argentino não recuperou dos problemas físicos que o afastaram da partida da última ronda, diante do Belenenses, e vai desfalcar a equipa às ordens de Jorge Jesus, que aposta em Talisca, ficando por confirmar se o número 30 benfiquista vai atuar do lado direito do ataque ou no centro do meio-campo.

Por outro lado, Jorge Jesus já vai poder contar com o uruguaio Maxi Pereira, que cumpriu castigo no Estádio do Restelo.

A formação 'encarnada' vai apresentar-se com Júlio César na baliza, um quarteto defensivo formado por Maxi Pereira, Luisão, Jardel e Eliseu, no meio-campo surgem Samaris, Pizzi, Talisca e Gaitán, enquanto o ataque ficará entregue à dupla formada por Jonas e Lima.

Por seu lado, no FC Porto, o técnico Julen Lopetegui reservou algumas surpresas para o 'clássico', desde logo com o regresso de Helton à baliza, no lugar de Fabiano.

O treinador espanhol, que já dispõe dos laterais Danilo e Alex Sandro, ausentes na partida da Liga dos Campeões diante do Bayern Munique, vai ainda lançar Rúben Neves e Evandro na equipa inicial, em detrimento de Quaresma e Herrera.

Desta forma, os 'dragões' vão subir ao relvado do Estádio da Luz com Helton na baliza, Danilo, Maicon, Marcano e Alex Sandro na defesa, Casemiro, Rúben Neves e Evandro no meio-campo, e Brahimi, Óliver e Jackson Martínez na frente.

O jogo 'grande' da 30.ª jornada da I Liga portuguesa, entre Benfica, líder do campeonato, e FC Porto, segundo, separados por três pontos, está marcado para as 17:00, no Estádio da Luz, em Lisboa, e será dirigido pelo portuense Jorge Sousa.



Lusa
  • Catalunha vs Espanha
    29:35

    Grande Reportagem SIC

    2017 ficará como o ano da Catalunha e de como a região espanhola foi falada em todo o mundo, por causa do grito de independência que não aconteceu. O jornalista Henrique Cymerman esteve na Catalunha e foi um dos poucos repórteres do mundo que conseguiu chegar ao esconderijo do presidente demissionário do Governo catalão, Carles Puigdemont, em Bruxelas.