sicnot

Perfil

Desporto

Carlos Queiroz mantém-se como selecionador do Irão

O treinador Carlos Queiroz vai continuar a ser selecionador de futebol do Irão na campanha para o Mundial de 2018, relata hoje a imprensa iraniana, cerca de um mês depois do anúncio da saída do português.

© Raheb Homavandi / Reuters

"Todos os adeptos querem que a sua equipa esteja no príximo Mundial. Tudo o que precisamos é de apoio da federação e do ministro [do Desporto] para nos prepararmos para grandes eventos", afirmou Queiroz, citado hoje no Theeran Times, após uma reunião com responsáveis iranianos.

Queiroz, que citou 'pressões' não especificadas, alegou falta de união na federação iraniana e denunciou situações de humilhação vividas por si e pelos jogadores, despediu-se em conferência de imprensa, a 31 de março, após a derrota no jogo particular com a Suécia (3-1).

Depois disso, o antigo selecionador português, de 62 anos, viu o seu nome envolvido numa situação de alegadas dívidas ao fisco, defendendo o que o seu contrato determina que seja a federação a pagar os impostos.

Hoje, a imprensa iraniana afirma que Queiroz vai continuar no cargo, depois de terminada uma 'batalha' entre a federação e o ministro do Desporto. "Quem não gostar, pode deixar a federação, uma vez que o ministro decidiu continuar com Queiroz", afirmou Reza Hosnikhu, um responsável nomeado para mediar o conflito.

Antes o Mundial de 2014, disputado no Brasil, Queiroz - que treinou o Sporting, o Real Madrid e foi adjunto de Alex Ferguson no Manchester United - queixou-se de falta de apoio governamental em termos de infraestruturas de treino e outros equipamentos essenciais para a preparação.

A 20 de março, o presidente da Federação Iraniana de Futebol, Ali Kafashian, disse que a relação de quatro anos com Queiroz estava terminada.

"Felizmente, tudo se resolveu e o senhor Queiroz vai preparar a equipa nacional para o Mundial de 2018- O nosso objetivo é chegar aos oitavos de final", afirmou agora Kafashian, que, sobre a questão dos impostos, prometeu fazer o seu melhor com a ajuda de responsáveis superiores. 

Na qualificação asiática para o Mundial de 2018, na Rússia, o Irão está integrado no grupo D, com Omã, Turquemenistão e Guam.


Lusa
  • Marco Silva vai treinar o Watford

    Desporto

    O treinador português Marco Silva assinou contrato com o Watford, da Liga Inglesa. O emblema que terminou a última Premier League na 17ª posição, a última antes dos lugares de descida, ganhou assim a corrida ao Crystal Palace e ao FC Porto, que também tentaram contratar o técnico.

  • "A maior conquista foi construir estabilidade"
    2:14

    Economia

    António Costa voltou esta sexta-feira a garantir que a partir de junho nenhum subsídio de desemprego será inferior a 421 euros por mês. O primeiro-ministro falava nas jornadas parlamentares do PS, onde afirmou que a estabilidade é a maior conquista deste Governo.

  • Com a multiplicação de bons indicadores económicos e financeiros do país, multiplicam-se os elogios ao Governo e declaram-se mortas e enterradas as políticas do passado recente, nomeadamente a da austeridade. Nada mais errado. O que os bons resultados agora alcançados provam definitivamente é que a austeridade resolveu de facto os problemas das contas públicas e, mais do que isso, contribuiu para o crescimento económico que foi garantido por reformas estruturais e pela reorientação do modelo económico.

    José Gomes Ferreira

  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14
  • Portugal pode ser atingido por longos períodos de seca

    País

    Portugal e Espanha podem ser atingidos até 2100 por 'megasecas', períodos de seca de dez ou mais anos, segundo os piores cenários traçados num estudo da universidade britânica Newcastle, que tem a participação de uma investigadora portuguesa.

  • G7 reforça compromisso na luta contra o terrorismo
    2:11
  • Uma foto para a história

    Mundo

    As mulheres dos líderes mundiais que se reúnem nas cimeiras da NATO posam para a fotografia oficial das primeiras-damas. A deste ano é histórica. Pela primeira vez, há um marido de um primeiro-ministro entre as nove mulheres. Trata-se de Gauthier Destenay, casado com o líder do Luxemburgo.