sicnot

Perfil

Desporto

Simão Sabrosa admite que carreira de futebolista possa ter chegado ao fim

O futebolista internacional português Simão Sabrosa admitiu hoje que a sua carreira possa já ter chegado ao fim, reconhecendo que o longo tempo afastado de competição e a idade são fatores que pesam.

 Reuters

Reuters

© Juan Medina / Reuters

Simão Sabrosa, que visitou hoje o Estoril Open em ténis, disse aos jornalistas que está agora a atravessar um período de "reflexão e a aproveitar a família e o país".

Questionado sobre o futuro, o ex-jogador do Benfica e do Sporting reconheceu que "é muito complicado" continuar a jogar.

"Estou há 10 meses sem competir e tenho 35 anos. No futebol é ser velho. Sinto-me capaz, mas são decisões e não apareceu nada de interessante", afirmou.

No entanto, o português sublinhou não se estar a lamentar de nada e que está "muito feliz" pelos sucessos da sua carreira.

"Fiz uma carreira brilhante. Consegui chegar onde cheguei graças ao meu trabalho. Se acabou, acabou, se não acabou vamos dar continuidade, mas tenho noção de que é muito complicado e é difícil", referiu.

Ainda que não seja como jogador, Simão Sabrosa disse querer continuar a estar ligado ao futebol, mas descarta a hipótese de treinador.

"Vou querer continuar a estar ligado à minha paixão, que é o futebol. Sempre achei que ser treinador não fazia parte do meu futuro. Vou pensar. Estou a ver todas as possibilidades em que me posso encaixar. Tenho plena consciência de que, enquanto profissional de futebol, foi tudo maravilhoso e fantástico e consegui chegar onde cheguei", concluiu.

Sobre o clássico de domingo de Benfica - FC Porto, Simão disse ter sido um jogo "muito tático, jogado a meio campo e muito bem preparado" pela equipa da casa.

"Não houve grandes oportunidades e o Benfica conseguiu o que queria que era não sofrer golos e manter a vantagem em relação ao Porto. Faltam jogos, é certo, mas ontem (domingo) foi um bom teste e um ponto importante para o Benfica. Como espetáculo adorei ter estado no Estádio da Luz, com aquele ambiente, mas como clássico não foi um jogo com muitas emoções", sustentou.

O antigo extremo do Benfica frisou que o campeonato não está resolvido.

"O título não está entregue, mas sem dúvida de que quem vai à frente é sempre justo. O Benfica está em primeiro há muito tempo, tem mais pontos e até agora é justo estar no primeiro lugar", frisou.

Simão Sabrosa, internacional por Portugal em 85 ocasiões (22 golos), começou a carreira profissional no Sporting, onde esteve três anos na equipa A, até 1999, quando se transferiu para o FC Barcelona. Representou o clube "culé" de 1999 a 2001 e foi contratado pelo Benfica, ao serviço do qual fez seis épocas, até 2007.

Passou depois pelo Atlético Madrid (quatro épocas) e pelo Besiktas, da Turquia.

Ao longo da sua carreira, Simão Sabrosa ganhou uma Liga Europa e uma Supertaça Europeia (ambas pelo Atlético Madrid), uma Liga portuguesa e uma Taça de Portugal e uma Supertaça portuguesa (pelo Benfica) e uma Taça da Turquia (pelo Besiktas).

Lusa
  • Ronaldo terá colocado milhões de euros nas Ilhas Virgens britânicas
    4:15

    Desporto

    José Mourinho e Cristiano Ronaldo são apenas dois dos nomes da maior fuga de informação na história do desporto. A plataforma informática Football Leaks forneceu milhões de documentos à revista alemã Der Spiegel, entre os quais documentos que indicam que o capitão da seleção nacional terá colocado milhões de euros da publicidade nas Ilhas Virgens britânicas. Os dados foram analisados por um consórcio de 60 jornalistas, do qual o Expresso faz parte, numa investigação que pode ler este sábado no semanário.

  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Mãe do guarda-redes da Chapecoense comove o Brasil
    1:37
  • Dezenas de mortos em bombardeamentos do Daesh em Mossul

    Daesh

    Dezenas de civis, entre os quais várias crianças, morreram e outros ficaram feridos em ataques de morteiro efetuados pelo grupo extremista Daesh em Mossul, disse à agência Efe o vice-comandante das forças antiterroristas iraquianas.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.