sicnot

Perfil

Desporto

Cédric diz que quer ficar no Sporting, mas admite que "tudo é possível"

O futebolista Cédric reconheceu hoje, na sua visita ao Estoril Open em ténis, que gostaria de ficar no Sporting, admitindo, contudo, que tudo é possível.

Cédric Soares, defesa direito português de 22 anos, é mais um talento formado pelos "leões". Está no clube desde 1998.

Cédric Soares, defesa direito português de 22 anos, é mais um talento formado pelos "leões". Está no clube desde 1998.

© Hugo Correia / Reuters

Em final de contrato com os leões, o defesa, que representa o clube há 18 anos, começou por dizer que não ia falar do Sporting, por estar no Clube de Ténis do Estoril para ver ténis, mas questionado sobre se gostaria de continuar respondeu "claro".

"Eu sou sportinguista, como vocês sabem", disparou Cédric, completando com um "tudo é possível" perante a insistência dos jornalistas.

Também André Martins se escusou a falar sobre os leões, recordando apenas que tem mais um ano de contrato.

O médio leonino não quis falar especificamente sobre a final da Taça de Portugal, garantindo que os jogadores estão "sempre confiantes para a Taça e para os jogos todos".

Lusa
  • Um retrato devastador do "pior dia do ano"
    2:47
  • Um olhar sobre a tragédia através das redes sociais
    3:22
  • "Estão a gozar com os portugueses, esta abordagem tem de mudar"
    6:45

    Opinião

    José Gomes Ferreira acusa as autoridades e o poder político de continuarem a abordar o problema da origem dos fogos de uma forma que considera errada. Em entrevista, no Primeiro Jornal, o diretor adjunto da SIC, considera que a causa dos fogos "é alguém querer que a floresta arda". José Gomes Ferreira sublinha que não se aprendeu com os erros e que "estão a gozar com os portugueses".

    José Gomes Ferreira

  • "Os portugueses dispensam um chefe de Governo que lhes diz que isto vai acontecer outra vez"
    6:32

    Opinião

    Perante o cenário provocado pelos incêndios, os portugueses querem um chefe de Governo que lhes diga como é que uma tragédia não volta a repetir-se e não, como disse António Costa, que não tem uma fórmula mágica para resolver o problemas dos fogos florestais. A afirmação é de Bernardo Ferrão, da SIC, que questiona ainda a autoridade da ministra da Administração Interna para ir a um centro de operações, uma vez que é contestada por toda a gente.

  • Portugal precisa de "resultados em contra-relógio, após décadas de desordenamento florestal"
    1:18