sicnot

Perfil

Desporto

Pepe diz que favoritismo do Real Madrid frente à Juventus "não ganha jogos"

O defesa central português Pepe considerou esta segunda-feira que o favoritismo atribuído ao Real Madrid na meias-final da Liga dos Campeões em futebol, frente à Juventus, "não ganha jogos" e prevê dificuldades para os 'merengues' na primeira mão, em Turim.

"Sabemos o quão complicado será o jogo e as dificuldades que vamos enfrentar aqui, por isso encaramo-lo com muita seriedade. Nesta fase da Liga dos Campeões o favoritismo não ganha jogos", disse Pepe durante a conferência de imprensa do estádio da Juventus, palco do jogo de terça-feira.

"Sabemos o quão complicado será o jogo e as dificuldades que vamos enfrentar aqui, por isso encaramo-lo com muita seriedade. Nesta fase da Liga dos Campeões o favoritismo não ganha jogos", disse Pepe durante a conferência de imprensa do estádio da Juventus, palco do jogo de terça-feira.

© Reuters Staff / Reuters

"Sabemos o quão complicado será o jogo e as dificuldades que vamos enfrentar aqui, por isso encaramo-lo com muita seriedade. Nesta fase da Liga dos Campeões o favoritismo não ganha jogos", disse Pepe durante a conferência de imprensa do estádio da Juventus, palco do jogo de terça-feira.

Dando conta da "enorme expetativa" dos jogadores do Real Madrid em defender um título, o internacional português disse que espera um jogo "muito duro" perante um adversário que, a despeito de jogar em casa e dos bons avançados que possui, "não vai jogar ao ataque".

"Como equipa italiana que é, vai querer defender e tentar a sorte com os dianteiros que tem. Estamos preparados para isso e para levar um bom resultado para Madrid', reforçou Pepe, que destacou no ataque da 'vecchia signora" o argentino Carlos Tévez, um jogador de "muita qualidade", e o reencontro com o amigo Álvaro Morata.

Ainda sobre o avançado argentino, realçou o facto de "não dar como perdida nenhuma bola" e de ser um jogador que "luta até à exaustão" em campo, mas não deixou de sublinhar também a qualidade de Morata e Llorente, dois "grandes avançados".

Sobre o reencontro com Morata, considerou ser "um momento especial" porque começaram ambos ao mesmo tempo no Real Madrid e por nutrir por ele e pela sua família "um grande carinho".

Com Carlo Ancelotti sentado à sua direita, Pepe não regateou elogios ao treinador italiano: "É um privilégio para mim, apesar da minha idade, poder aprender com ele a cada dia que passa. Cada minuto que estou com ele, respiro futebol. Como ex-futebolista sabe exatamente as nossas necessidades. Preenche-nos como pessoa e treinador". 

Sobre a opção de Ancelotti em colocar o defesa central Sergio Ramos a meio-campo, como tem acontecido nos últimos jogos e vai voltar a acontecer frente à Juventus, defendeu-a: "O Sergio tem muita qualidade, torna-nos mais fortes nas bolas paradas e nos despiques diretos e dá-nos estabilidade porque ajuda muito o Kroos. Está a sacrificar-se pela equipa e isso é bom, porque ela está acima de todos e o mais importante é que o Real Madrid vença".
Lusa
  • Presidente da Proteção Civil demitiu-se

    País

    O Presidente da Autoridade Nacional da Proteção Civil (ANPC), Joaquim Leitão, pediu esta quarta-feira a demissão com efeitos imediatos. A carta de demissão foi enviada para o Ministério da Administração Interna, no entanto, uma vez que a ministra também se demitiu, o documento seguiu para o gabinete do primeiro-ministro, António Costa.

  • "Foi um golpe muito forte"
    1:41
  • Não me parece o melhor princípio político, mas percebo que António Costa queira ter junto de si, sobretudo em tempos difíceis, os mais próximos. Os homens de confiança pessoal e política. Em plena tempestade, o primeiro-ministro chamou dois amigos de longa data, ex-colegas da Faculdade de Direito, Eduardo Cabrita e Pedro Siza Vieira. E eles não disseram que não.

    Bernardo Ferrão

  • SIC acompanhou Francisco George no último dia como diretor-geral da Saúde
    6:20