sicnot

Perfil

Desporto

Sporting precisa de lucro de 4,9 M € para atingir passivo permitido pela UEFA

O Sporting esclareceu, em comunicado, que precisa de apresentar um saldo positivo de 4,9 milhões de euros em julho para cumprir o limite de passivo de 30 milhões imposto pela UEFA no âmbito do "fair-play" financeiro. O clube chegou na sexta-feira a acordo com a UEFA para o cumprimento do "fair-play" financeiro, podendo regressar já na próxima época à conformidade com os regulamentos. No comunicado divulgado, o Sporting explica que depois do passivo de 43,5 milhões de 2012/13 da responsabilidade da anterior direção e do lucro de 8,6 milhões da temporada passada, o limite de 30 milhões de passivo será atingido com um valor positivo de 4,9 milhões. O Sporting esclarece ainda que só se este valor não for atingido é que a UEFA poderá impor algumas limitações, nomeadamente ao nível do número de jogadores a inscrever nas competições europeias de clubes e da retenção de prémios.

JOS\303\211 SENA GOUL\303\203O

  • Morreu Miguel Beleza, antigo ministro das Finanças e governador do BdP
    1:34
  • "Estamos a ficar sem espaço. Está na hora de explorar outros sistemas solares"

    Mundo

    O físico e cientista britânico Stephen Hawking revelou alguns dos seus desejos para um novo plano de expansão espacial. Hawking está em Trondheim, na Noruega, para participar no Starmus Festival que promove a cultura científica. E foi lá que o físico admitiu que a população mundial está a ficar sem espaço na Terra e que "os únicos lugares disponíveis para irmos estão noutros planetas, noutros universos".

    SIC

  • Não posso usar calções... visto saias

    Mundo

    Perante a proibição de usar calções no emprego, um grupo de motoristas franceses adotou uma nova moda para combater o calor. Os trabalhadores decidiram trocar as calças por saias, visto que a peça de roupa é permitida no uniforme da empresa para a qual trabalham.

  • De refugiada a modelo: a história de Mari Malek

    Mundo

    Mari Malek chegou aos Estados Unidos da América quando era ainda uma criança. Chegada do Sudão do Sul, a menina era uma refugiada à procura de um futuro melhor, num país que não era o seu. Agora, anos depois, Mari Malek é modelo, DJ e atriz, e vive em Nova Iorque. Fundou uma organização sediada no país onde nasceu voltada para as crianças que passam por dificuldade, como também ela passou.