sicnot

Perfil

Desporto

Vitória diz que adeptos do Benfica causaram prejuízos superiores a 100 mil euros

O prejuízo provocado pelos adeptos do Benfica, domingo, após o jogo com o Vitória de Guimarães, que lhe valeu o bicampeonato de futebol, deve ascender a mais de 100 mil euros, disse esta segunda-feira à agência Lusa fonte vitoriana.

Os adeptos 'encarnados' destruíram e queimaram parcialmente três casas de banho da bancada inferior do topo norte, vandalizaram e assaltaram o bar aí instalado - "levaram cerca de 4800 euros" -, assim como o armazém do material desportivo, arrancaram ou partiram dezenas de cadeiras, além de terem agredido dois funcionários do Vitória.

Os adeptos 'encarnados' destruíram e queimaram parcialmente três casas de banho da bancada inferior do topo norte, vandalizaram e assaltaram o bar aí instalado - "levaram cerca de 4800 euros" -, assim como o armazém do material desportivo, arrancaram ou partiram dezenas de cadeiras, além de terem agredido dois funcionários do Vitória.

© Miguel Vidal / Reuters

Segundo o vice-presidente do Vitória de Guimarães para a área do património, Armando Marques, o balanço da destruição da bancada norte do estádio D. Afonso Henriques ainda está a decorrer, assim como a respetiva investigação policial, mas os prejuízos serão avultados. 

"Várias dezenas de milhares de euros, seguramente ultrapassa os 100 mil euros", disse à Lusa.

Os adeptos 'encarnados' destruíram e queimaram parcialmente três casas de banho da bancada inferior do topo norte, vandalizaram e assaltaram o bar aí instalado - "levaram cerca de 4800 euros" -, assim como o armazém do material desportivo, arrancaram ou partiram dezenas de cadeiras, além de terem agredido dois funcionários do Vitória.

"Só em bolas [de futebol] são mais de 20.000 euros [de prejuízo]. Levaram umas 160, cada uma custa cerca de 150 euros, fora fatos de treino, camisolas, malas", lamentou.

O dirigente revelou ainda que o presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, foi colocado ao corrente do sucedido ainda no domingo e prontamente se "disponibilizou para pagar os prejuízos".
Lusa
  • GNR só teve acesso às imagens das agressões em Alcochete 12 horas depois
    1:42

    Crise no Sporting

    A GNR não pôde visionar as imagens de videovigilância da Academia de Alcochete logo que chegou ao local. O sistema estava inoperacional, o que fez com que as imagens só fossem entregues quase 12 horas depois do ataque à equipa do Sporting. Entre as provas recolhidas, estão também impressões digitais e vestígios de sangue encontrados na zona do balneário.

  • Juiz considera que agressões em Alcochete foram "ato terrorista"
    1:59

    Crise no Sporting

    O juiz que decretou a prisão preventiva dos 23 detidos pelo ataque à Academia do Sporting considera que se tratou de um ato terrorista. Diz mesmo que os agressores tiveram um comportamento chocante e que perverte o espírito desportivo. Sete dos 23 detidos já foram condenados por outros crimes, mas não chegaram a pena de prisão.

  • Gonçalo Guedes: o menino franzino que jogava mais que os outros em Benavente
    8:47
  • A promessa que João Mário vai ter de cumprir se Portugal for campeão
    1:36
  • Aprovadas mudanças no acesso ao ensino superior

    País

    O Governo aprovou esta quinta-feira o decreto-lei que estabelece o currículo dos ensinos básico e secundário, bem como os princípios orientadores da avaliação, voltando a nota de Educação Física a contar para a média de acesso ao ensino superior. No caso dos alunos do ensino profissional, são eliminados requisitos considerados discriminatórios no acesso ao ensino superior.

  • Universidade de Coimbra não retira Honoris Causa a Lula
    3:30
  • Estudo acaba com teorias da conspiração sobre a morte de Hitler

    Mundo

    Existem algumas versões sobre o desaparecimento do ditador nazi, Adolf Hitler. Há quem diga que viajou para um país da América do Sul, outros acreditam que está escondido na Antártida e há até quem vá mais longe e acredita que estaria na Lua. Mas, teorias da conspiração à parte, a história oficial diz que Hitler suicidou-se num bunker, em Berlim, Alemanha.

    SIC