sicnot

Perfil

Desporto

Van Praag abandona corrida à presidência da FIFA e apoia Ali bin Al Hussein

O holandês Michael van Praag anunciou hoje que vai abandonar a corrida à presidência da FIFA, à qual concorre o ex-futebolista português Luís Figo, com o objetivo de apoiar a candidatura do príncipe Ali bin Al Hussein, da Jordânia.

(Reuters/ Arquivo)

(Reuters/ Arquivo)

© United Photos / Reuters

"Após numerosas deliberações e reflexões com diversas pessoas envolvidas no processo, Michael van Praag decidiu retirar a sua candidatura e juntou as suas forças às do príncipe Ali bin Al Hussein", informa a sua equipa de candidatura, em comunicado.

A assessoria de Michael van Praag indica também que o presidente da Federação Holandesa de Futebol, de 67 anos, explicará ainda hoje mais detalhadamente as razões da sua decisão, em conferência de imprensa, em Amesterdão.

Com a saída de 'cena' de Michael van Praag, restam três candidatos à presidência da FIFA. Além de Luís Figo e do príncipe Ali bin Al Hussein, vice-presidente do organismo, concorre também o suíço Joseph Blatter, considerado o principal favorito à reeleição para um quinto mandato.

As eleições para a presidência do organismo que rege o futebol mundial realizam-se a 29 de maio, no segundo de dois dias de congresso da FIFA, em Zurique, na Suíça.



Lusa
  • CGD terá de reconhecer imparidades e prepara saída de 2 mil funcionários
    2:45

    Caso CGD

    O novo plano estratégico da Caixa está pronto e foi entregue há duas semanas ao Ministério das Finanças. A SIC sabe que está a ser preparada a saída de 2 mil trabalhadores e que o banco terá de reconhecer imparidades. O Expresso diz que a CGD vai fechar o ano com prejuízos que podem chegar aos 3 mil milhões de euros.

  • Jovens do exército russo aderem ao Desafio do Manequim
    1:01

    Mundo

    Na Rússia, o grupo de jovens do exército também já aderiu ao famoso Mannequin Challenge. O vídeo foi divulgado pelo Ministério da Defesa russo. O objetivo é mostrar o dia-a-dia do chamado exército de jovens, cuja principal missão passa por sensibilizar os russos para a necessidade de cumprir o serviço militar obrigatório.