sicnot

Perfil

Desporto

João Sousa qualifica-se para a final do torneio de Genebra

O tenista português João Sousa, 50º do 'ranking' mundial, qualificou-se esta sexta-feira para a final do torneio de Genebra, na Suíça, depois de vencer Federico Delbonis, número 74 do circuito.

Nas três finais que já disputou no ATP Tour, João Sousa venceu uma, em Kuala Lumpur, em 2013, e perdeu duas, ambas o ano passado, em Bastaad, na Suécia, e Metz, em França. (Arquivo)

Nas três finais que já disputou no ATP Tour, João Sousa venceu uma, em Kuala Lumpur, em 2013, e perdeu duas, ambas o ano passado, em Bastaad, na Suécia, e Metz, em França. (Arquivo)

Daniel Ochoa de Olza / AP

João Sousa, que se apurou para a quarta final da carreira, superiorizou-se a Delbonis, com quem fez dupla no quadro pares do torneio suíço, em três 'sets', pelos parciais de 6-3, 2-6 e 6-4, em 1:52 horas.

Na final de sábado, João Sousa defrontará o brasileiro Thomaz Bellucci, jogador que ocupa atualmente o 60.º lugar do 'ranking' e que o número um português nunca defrontou no circuito.

Nas três finais que já disputou no ATP Tour, João Sousa venceu uma, em Kuala Lumpur, em 2013, e perdeu duas, ambas o ano passado, em Bastaad, na Suécia, e Metz, em França.
Lusa
  • Reportagem Especial dá a voz aos despedidos da banca
    1:18
  • CEMGFA admite que várias armas roubadas estão em condições de ser usadas
    2:06

    Assalto em Tancos

    Afinal há várias armas roubadas em Tancos que estão em condições de ser utilizadas, sendo que apenas os lança-granadas-foguete estão obsoletos. Esta manhã, o general Pina Monteiro admitiu, no Parlamento, que a declaração que fez há duas semanas pode ter induzido em erro a opinião pública. O chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas (CEMGFA) diz, ainda, que se houvesse indícios sobre colaboração do Exército neste caso, os suspeitos estariam presos.

  • Pais de Charlie Gard querem que o bebé morra em casa

    Mundo

    Depois de terem renunciado à batalha judicial para manterem o filho com vida, os pais do bebé britânico Charlie Gard desejam agora levar a criança para morrer em casa. O desejo foi revelado pelo advogado de Chris Gard e Connie Yates, numa audiência esta tarde, no Supremo Tribunal de Londres. Contudo, o hospital responsável pelo caso admite que os cuidados a Charlie não podem ser feitos em casa.