sicnot

Perfil

Desporto

Maria Sharapova ganha em Roland Garros mas é vaiada

A tenista russa Maria Sharapova iniciou hoje a defesa do título em Roland Garros com o doce sabor da vitória e com o amargo de ter sido vaiada pelo público francês, que muito aplaudiu o triunfo de Andy Murray.

© Jean-Paul Pelissier / Reuters

Se durante o encontro da primeira ronda frente à estoniana Kaia Kanepi, a número dois mundial nunca tremeu, impondo-se por 6-2 e 6-4 em uma hora e 24 minutos, o mesmo não aconteceu nos instantes posteriores à sua vitória. Num ápice, os aplausos do exigente público francês, capaz das maiores relações amor-ódio, transformaram-se em assobios, tudo porque a russa se recusou a dar a habitual entrevista em 'court'.

Sharapova desculpou-se com a sua voz fraca, devido a uma constipação, o público não a perdoou, vaiando a campeã em título enquanto esta saía do estádio Philippe Chatrier. "Entendo perfeitamente que toda a gente dá entrevistas e responde a umas perguntas diante do público. [A reação] é completamente normal. Não vou desculpar-me, mas fiz o que tinha de fazer", defendeu a russa, que também venceu em Paris em 2012.

Este foi apenas um episódio numa segunda jornada de emoções fortes no quadro feminino, que acabou com a eliminação da menos cotada das irmãs Williams, a 15.ª cabeça de série, Venus, que foi derrotada pela compatriota Sloane Stephens, por 7-6 (7-5) e 6-1. Desde 2010, que a tenista de 34 anos não atinge a segunda semana do torneio francês, o qual disputou pela 18.ª vez.

Bem mais cedo no 'dia 2' do segundo 'Grand Slam' da época, os adeptos mais sensíveis tiveram a oportunidade de se emocionar com as lágrimas de uma desgostosa Agnieszka Radwanska.

A 14.ª cabeça de série, antiga número dois mundial e finalista de Wimbledon em 2012, protagonizou a surpresa da jornada, ao cair na primeira ronda diante da alemã Annika Beck (83.ª), que venceu por 6-2, 3-6 e 6-1.

"Talvez esteja a ficar velha", lamentou a polaca de 26 anos, afastada na primeira ronda de um 'Grand Slam' pela terceira vez na carreira, em 34 participações. 

Já no quadro masculino, fora a eliminação ainda assim pouco surpreendente do 11.º cabeça de série, o espanhol Feliciano López (o seu piso, sabe-se, é a relva), por obra do russo Teymuraz Gabashvili, que se impôs por 6-3, 7-6 (11-9) e 6-3, tudo decorreu como esperado, sobretudo para Andy Murray.

O número três mundial prolongou o seu idílio recente com a terra batida (este ano conquistou os seus dois primeiros troféus no pó de tijolo, um deles no Masters 1000 de Madrid), vencendo em apenas uma hora e 44 minutos o argentino Facundo Arguello, por 6-3, 6-3 e 6-1.

"A primeira ronda de um 'Grand Slam' é sempre difícil e hoje estava muito vento. Estava um pouco nervoso no início, mas gosto disso. Mostra que te preocupas e queres fazer um bom resultado", confessou o britânico que, na segunda ronda, pode reencontrar o português João Sousa, que defrontou na terceira ronda do primeiro 'Grand Slam' do ano, o Open da Austrália.

Também o quarto tenista mundial, o checo Tomas Berdych, reforçou o seu excelente momento de forma, derrotando o 'qualifier' japonês Yoshihito Nishioka, por 6-0, 7-5 e 6-3, para marcar encontro com o seu companheiro habitual da Taça Davis, Radek Stepanek.

O checo, de 36 anos, tornou-se o tenista mais velho a vencer um encontro em Roland Garros desde Jimmy Connors (que tinha 38) em 1991, ao bater o croata Ivan Dodig 5-7, 6-3, 6-4 e 6-1.







Lusa
  • "Sempre nos disseram que bastava o Aves ganhar para estar na Liga Europa"
    0:34

    Desporto

    O Presidente da SAD do Desportivo das Aves garante que não houve esquecimento ou atraso na inscrição do clube na Liga Europa. Luiz Andrade afirma que sempre lhe disseram que bastava vencer a Taça de Portugal para marcar presença na competição e que ainda não sabe se o clube pode ou não jogar a fase de grupos da competição europeia.

  • "Fui violada por Harvey Weinstein aqui em Cannes"
    1:02

    Cultura

    A cerimónia de encerramento do Festival de Cinema de Cannes ficou ainda marcada pelo discurso de Asia Argento. A atriz italiana que acusou Harvey Weinstein de a ter violado justamente numa das edições do festival de Cannes, e que há mais abusadores à solta.

  • As primeiras imagens das quatro crias da lince Malva
    0:20
  • Exército sírio declara Damasco "totalmente segura"

    Mundo

    O exército sírio proclamou esta segunda-feira a capital Damasco e também os arredores, como locais "totalmente seguros". O anúncio foi feito em clima de festa, depois de os militares terem reconquistado os bairros do sul da cidade, até agora nas mãos do Daesh.