sicnot

Perfil

Desporto

Futebolistas Berbatov e Stekelenburg deixam o Mónaco

O futebolista internacional búlgaro Dimitar Berbatov, de 34 anos, e o guarda-redes holandês Maarten Stekelenburg, de 32, vão deixar o Mónaco, anunciou esta segunda-feira o clube francês no seu sítio oficial na internet.

Em 53 jogos disputados, Berbatov marcou 18 golos. (Arquivo)

Em 53 jogos disputados, Berbatov marcou 18 golos. (Arquivo)

© Action Images / Reuters

"O AS Mónaco quer saudar a saída de Dimitar Berbatov, cujo contrato termina no final do mês. Por outro lado, Maarten Stekelenburg, emprestado esta época pelo clube inglês Fulham, não continuará na próxima época", anunciaram os monegascos.

Berbatov jogou uma época e meia na equipa monegasca, treinada pelo português Leonardo Jardim, depois de ter chegado no mercado de inverno de 2014, também proveniente do Fulham.

Em 53 jogos disputados, o búlgaro marcou 18 golos, mas durante parte desta época acabou por perder a titularidade para Anthony Martial e depois também por Valère Germain.

Já Maarten Stekelenburg, emprestado pelo Fulham, disputou oito jogos pelo Mónaco, sendo habitualmente suplente do internacional croata Danijel Subasic.

O Mónaco, que também conta com os portugueses Ricardo Carvalho, João Moutinho e Bernardo Silva, terminou a Liga francesa em terceiro lugar e discutirá o acesso à fase de grupos da Liga dos Campeões.
Lusa
  • Caravana com cinzas de Fidel chega este sábado a Santiago de Cuba
    2:01
  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.