sicnot

Perfil

Desporto

Documentário da BBC lança suspeitas de doping sobre vice-campeão olímpico

Alberto Salazar, antigo maratonista norte-americano e treinador responsável pelo ressurgimento do meio-fundo nos Estados Unidos, é acusado de ter encorajado o doping de Galen Rupp, atual vice-campeão olímpico dos 10 mil metros.

Salazar, de 56 anos, terá levado Rupp a dopar-se desde 2012, quando o atleta tinha apenas 16 anos, com medicação proibida à base de testosterona. (Arquivo)

Salazar, de 56 anos, terá levado Rupp a dopar-se desde 2012, quando o atleta tinha apenas 16 anos, com medicação proibida à base de testosterona. (Arquivo)

© USA Today Sports / Reuters

Segundo um documentário, hoje apresentado pelo Panorama BBC, Salazar, de 56 anos, terá levado Rupp a dopar-se desde 2012, quando o atleta tinha apenas 16 anos, com medicação proibida à base de testosterona.

Tanto Salazar como Rupp, que agora tem 29 anos e é o atual recordista nacional da dupla légua, desmentem o quadro avançado pela Panorama, que investigou o campo de treinos Nike de Portland, Oregon.

Steve Magness, que já foi adjunto de Salazar, disse ter ficado chocado quando viu documentos com os níveis de testosterona de Rupp, em 2011. Salazar defende-se da acusação e diz que se trata de uma referência errada ao suplemento permitido Testoboost.

O documentário apresenta vários outros atletas e técnicos que passaram pelo 'projeto Oregon', consensuais em referir que Salazar recorria ao uso de substâncias proibidas.

Quem sai incólume desta investigação da Panorama é Moh Farah, bicampeão olímpico em Londres2012. O inglês, que é o mais mediático dos atletas treinados por Salazar, reforça mesmo que nunca lhe foi sugerido qualquer substância proibida.

Não há registos de qualquer atleta do 'projeto Oregon' ter tido um resultado positivo, mas David Hownan, da Agência Mundial Antidopagem (AMA), mostrou-se preocupado com as notícias e defendeu a necessidade do caso ser analisado por uma entidade independente.
Lusa
  • Passos acusa Governo de "sacudir água do capote"

    País

    O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, acusou este sábado o Governo de "sacudir a água do capote" para não assumir a responsabilidade pelo que está a ser decidido, usando uma política de comunicação que considerou ser um "embuste".