sicnot

Perfil

Desporto

UEFA impede que Figo volte a vestir a camisola do Barcelona

O Barcelona anunciou esta quarta-feira que português Luís Figo não irá representar os 'blaugrana' no amigável que irá juntar antigas 'estrelas' do futebol a ex-futebolistas do Barcelona e Juventus, por ocasião da final da Liga dos Campeões.

Recorde-se que depois de cinco épocas ao serviço do Barcelona, Figo, numa das transferências mais polémicas do futebol mundial, transferiu-se para os rivais do Real Madrid, a troco de 65 milhões de euros. (Arquivo)

Recorde-se que depois de cinco épocas ao serviço do Barcelona, Figo, numa das transferências mais polémicas do futebol mundial, transferiu-se para os rivais do Real Madrid, a troco de 65 milhões de euros. (Arquivo)

CESAR RANGEL / AP

Segundo anunciou o clube catalão no seu Twitter oficial, o requerimento enviado à UEFA a pedir para que o antigo internacional português não voltasse a vestir de 'blaugrana' foi aceite, o que o impedirá de alinhar na equipa das 'estrelas' de Barcelona e Juventus, que entre outros contará com a presença de Deco, David Trezeguet, Del Piero Abidal ou Vieri.

Do outro lado, na equipa das estrelas do futebol mundial, estão confirmados jogadores como Cafu, Pires, Seedorf ou Van Hooijdonk.

Recorde-se que depois de cinco épocas ao serviço do Barcelona, Figo, numa das transferências mais polémicas do futebol mundial, transferiu-se para os rivais do Real Madrid, a troco de 65 milhões de euros. 

Desde então, os adeptos catalães não mais esqueceram a 'traição' do antigo ídolo e capitão, ficando para sempre ligada ao português a alcunha de 'pesetero'.

O jogo das estrelas está agendado para as 17:30 de sexta-feira, em Berlim, um dia antes de o Barcelona defrontar a Juventus na final da Liga dos Campeões no Estádio Olímpico.
Lusa
  • Sporting de Braga eliminado da Liga Europa
    2:01
  • Dissolução da União Soviética aconteceu há 25 anos

    Mundo

    Assinalam-se esta quinta-feira 25 anos desde o fim do acordo que sustentava a União Soviética. A crise começou em 80, mas aprofundou-se nos anos 90 com a ascensão de movimentos nacionalistas em praticamente todas as repúblicas soviéticas.