sicnot

Perfil

Desporto

UEFA impede que Figo volte a vestir a camisola do Barcelona

O Barcelona anunciou esta quarta-feira que português Luís Figo não irá representar os 'blaugrana' no amigável que irá juntar antigas 'estrelas' do futebol a ex-futebolistas do Barcelona e Juventus, por ocasião da final da Liga dos Campeões.

Recorde-se que depois de cinco épocas ao serviço do Barcelona, Figo, numa das transferências mais polémicas do futebol mundial, transferiu-se para os rivais do Real Madrid, a troco de 65 milhões de euros. (Arquivo)

Recorde-se que depois de cinco épocas ao serviço do Barcelona, Figo, numa das transferências mais polémicas do futebol mundial, transferiu-se para os rivais do Real Madrid, a troco de 65 milhões de euros. (Arquivo)

CESAR RANGEL / AP

Segundo anunciou o clube catalão no seu Twitter oficial, o requerimento enviado à UEFA a pedir para que o antigo internacional português não voltasse a vestir de 'blaugrana' foi aceite, o que o impedirá de alinhar na equipa das 'estrelas' de Barcelona e Juventus, que entre outros contará com a presença de Deco, David Trezeguet, Del Piero Abidal ou Vieri.

Do outro lado, na equipa das estrelas do futebol mundial, estão confirmados jogadores como Cafu, Pires, Seedorf ou Van Hooijdonk.

Recorde-se que depois de cinco épocas ao serviço do Barcelona, Figo, numa das transferências mais polémicas do futebol mundial, transferiu-se para os rivais do Real Madrid, a troco de 65 milhões de euros. 

Desde então, os adeptos catalães não mais esqueceram a 'traição' do antigo ídolo e capitão, ficando para sempre ligada ao português a alcunha de 'pesetero'.

O jogo das estrelas está agendado para as 17:30 de sexta-feira, em Berlim, um dia antes de o Barcelona defrontar a Juventus na final da Liga dos Campeões no Estádio Olímpico.
Lusa
  • Os números das eleições francesas
    0:50

    Eleições França 2017

    Os resultados definitivos mostram que Emmanuel Macron obteve 24% dos votos, na primeira volta das eleições francesas. Ficou quase três pontos à frente de Marine Le Pen, que conseguiu 21,3%. Os números oficiais, publicados pelo Ministério do Interior, dão ainda conta da taxa de abstenção: 22,2%, um ligeiro aumento face à primeira volta das presidenciais de 2012.

  • ASAE encerra em média um restaurante por dia
    1:33
  • Grupo de brasileiros em assalto milionário no Paraguai
    1:24